Domingo 09 de Agosto de 2020

World Athletics termina com suspensão do sistema de qualificação olímpica para a maratona e provas de marcha

Segundo a notícia veiculada pela Federação Portuguesa de Atletismo, “a World Athletics acaba a suspensão do sistema de qualificação olímpica de Tóquio para os eventos de maratona e marcha atlética a partir de 1 de Setembro de 2020, devido a preocupações com a falta de oportunidades de qualificação que podem estar disponíveis para este grupo de atletas antes que o período de qualificação termine em 31 de maio de 2021”.

Atl-Treinadores-28-07-2020Segundo o mesmo documento, “o período original da suspensão, de 6 de Abril a 30 de Novembro de 2020, foi introduzido devido à interrupção da competição e do treino causada pela pandemia global e permanece em vigor para todos os outros eventos de atletismo”.

No entanto “os maratonistas e marchadores poderão obter as marcas de qualificação olímpica de 1 de Setembro a 30 de Novembro, mas apenas em corridas pré-identificadas, anunciadas e autorizadas, sendo realizadas em percursos certificados pela World Athletics, com testes de antidopagem nos locais de competição”.

Adiantando ainda que “o acumular de pontos no ranking mundial e a qualificação automática através das maratonas Gold Label / Platinum Label continuam suspensos até 30 de Novembro de 2020”.

Outrossim, “a Maratona de Londres, agendada para dia 4 de Outubro, está comprometida em trabalhar com a World Athletics para promover essa oportunidade para atletas de todo o mundo e para ajudar com as despesas de viagem, para que possam participar em Londres e alcançar a qualificação olímpica”.

Além disso, “espera-se a realização de dois grandes eventos de marcha atlética entre 1 de Setembro e 30 de Novembro de 2020”, o que deverá ser aproveitado, pelo menos, por Ana Cabecinha e Inês Henriques (mínimos de 1.31.00) na prova dos 20 km, considerando que os 50 km não foram integrados no calendário dos Jogos.

Quanto à maratona, recorde-se que Portugal já tem duas atletas apuradas para a maratona: Carla Salomé Rocha, com 2.24.47 e Sara Catarina Ribeiro, com 2.26.40.

João Vieira também está assegurado nos 50 km marcha, para onde foi apurado com o tempo de 3.46.38, num mínimo que está ficado em 3.50.00.

Entretanto, José Silva venceu as eleições para a Associação dos Treinadores de Atletismo de Portugal, liderando a lista B, com um total de 72 votos de um universo de 105 votantes. José Praia liderou a lista A, tendo recebido 31 votos.

A Federação Portuguesa de Atletismo deu ainda a conhecer que o técnico José Silva foi eleito como presidente da Associação dos Treinadores de Atletismo de Portugal, liderando a lista B, que somou 72 votos contra 31 da A, encabeçada por José Praia

No final da votação, ainda a meio do treino que estava a decorrer com o seu atleta de maior palmarés, o velocista Carlos Nascimento, José Silva falou à FPA, manifestando a sua satisfação por ter recebido um mandato que «vem motivar-nos para transformarmos a imagem de uma associação, cujo objecto é a sua dinâmica, que ao momento é inexistente».

António Antunes foi eleito presidente da Assembleia Geral e Carlos Fernandes, para o Conselho Fiscal.

Entretanto, esta terça-feira, o atleta olímpico Eugénio Eleutério, que representou Portugal nos Jogos Olímpicos de 1952, que se realizaram em Helsínquia, de 19 de Julho a 3 de agosto, há 68 anos.

Eugénio Eleutério, completaria 100 anos a 3 de Novembro deste ano.

Foi atleta do Belenenses e do Benfica e, em Helsínquia, correu os 200 metros e fez parte da estafeta de 4×100 metros com Tomás Paquete, Fernando Casimiro e Rui Maia.

Na sua carreira alcançou 14 títulos nacionais e obteve 12 recordes nacionais.

A Federação Portuguesa de Atletismo e o Comité Olímpico de Portugal apresentaram condolências à família.

 

© 2020 Jogada do Mes. Todos os direitos reservados. XHTML / CSS Valid.