Quarta-feira 28 de Outubro de 2020

Esloveno Tadej Pogacar de amarelo e Nelson Oliveira campeão por equipas no Tour de France

O esloveno Pogacar confirmou-se como o mais jovem ciclista a vencer o Tour de France, que este domingo se concluiu na bela Cidade Luz (Paris), enquanto Portugal também viu o seu nome de “amarelo”, porquanto Nelson Oliveira integrou a equipa da Movistar que venceu a competição por equipas.

A.S.O./Pauline Ballet

A.S.O./Pauline Ballet

Pogacar deixou o seu compatriota Primoz Roglic a 59 segundos, enquanto Nelson obteve um excelente 57º lugar na geral, depois de, no ano passado, ter sido 79º.

A 107ª edição do Tour de France fechou em plenos Campos Elíseos, desta vez com muito pouca gente a assistir face à pandemia que vigora um pouco por todo o mundo, com a tradicional etapa final a desenrolar-se em forma de “desfile” de campeões, porquanto na véspera, todas as decisões estavam tomadas após a realização do contra-relógio individual.

Com um sprint à sua maneira – confirmando também a sua especialidade de velocista nato, que garantiu a conquista da camisola dos pontos – o irlandês Sam Bennett (Deceuninck-Quick Step), bateu o dinamarquês Mads Pedersen (Trek-Segafredo) e o esloveno Peter Sagan (Bora-Hansgrohe).

Esta última etapa, com 122 km, iniciou-se em Mantes-la-Jolie, no que foi uma “passeata” para a coroação final, com tudo resolvido a preceito.

Ainda assim, a 56 km da meta Neilson Powless (EF Education First) fez a “graça” de arrancar para a frente do pelotão, a que se sucederam várias outras ofensivas por parte de Michal Kwiatkowski (Ineos Grenadiers) ou Soren Kragh Andersen (Team Sunweb), tendo “cristalizado” uma fuga de quatro ciclistas a 42 km do final.

Max Schachmann (Bora-Hansgrohe), Connor Swift (Arkéa-Samsic), Greg van Avermaet (CCC Team) y Pierre-Luc Périchon (Cofidis), que nunca contaram com mais de vinte segundos sobre o pelotão.

Tudo acalmou, entretanto, e a chegada à meta fez-se com um pelotão constituído por 64 unidades, que cumpriram o percurso em 2.53.32, grupo onde se encontrava o português Nelson Oliveira.

Depois do irlandês Sam Bannett (Deceuninck-Quick-Step), completaram o pódio o dinamarquês Mads Pedersen (Trek-Segafredo) e o esloveno Peter Sagan (Bora-Hansgrohe), seguindo-se o norueguês Alexander Kristoff (UAE Emirates Team) e o italiano Elia Viviane (Cofidis).

Nelson Oliveira (Movistar) chegou na 57ª posição, enquanto o último (146º lugar) foi o dinamarquês Michael Hundahl, a 3.53 do vencedor.

Como se referiu, o esloveno Tadej Pogacar (UAE-Emirates) foi o grande vencedor do Tour de France, somando 87.20.05, seguido do seu compatriota Primoz Roglic (Jumbo-Visma), a 59 segundos e, a fechar o pódio, lugar para o australiano Richie Porte (Trek-Segafredo), a 3.30.

Lugares seguintes, no “top ten”, para três espanhóis: Mikel Landa (Barhain) a 5.58, Enric Mas (Movistar), a 6.07 e Miguel Amgel Lopez (Astana), a 6.47.

O holandês Tom Dumoulin (Jumbo-Visma) foi 7º, a 7.48; o colombiano Rigoberto Urán (EF Proc Cycling) foi 8º, a 8.02; o britânico Adam Yates (Mitchelton-Scott) foi 9º, a 9.25; e o italiano Damiano Caruso (Barhain) foi 10º, a 14.03.

Nelson Oliveira foi 59º, a 3.01.41.

O irlandês Sam Bennett venceu o Prémio por Pontos, enquanto o esloveno Tadej Pogacar venceu, para além da amarela, os prémios da Montanha e da Juventude.

Fim de festa em Paris e mais uma vitória do desporto ante o covid-19.

 

© 2020 Jogada do Mes. Todos os direitos reservados. XHTML / CSS Valid.