Sábado 21 de Maio de 2022

Patrícia Mamona e Pedro Pichardo nas finais deste domingo no europeu de pista coberta

Patrícia Mamona e Pedro Pichardo são os dois portugueses candidatos aos pódios do triplo-salto, provas que se efectuam este domingo no Arena Torun (Polónia), a fechar os 36ºs Campeonatos da Europa de Pista Coberta.

Pichardo_atl_2021Pichardo será o primeiro, a partir das 9h50 (portuguesas) – RTP 2 transmite em directo – a entrar no “jogo” das medalhas, apresentando-se como o melhor na fase de qualificação (17,03) mas resguardado nos 17,36 que fez ainda em Portugal, quando se sagrou campeão nacional.

Por seu lado, Mamona (pelas 16h20) vai apresentar-se como a melhor na prova de qualificação (14,43, a um centímetro do seu recorde pessoal e nacional) ante a grega Paraskevi Papahristou, que tem como melhor este ano (14,60, também recorde pessoal), nula peleja que se prolongará pelos seis ensaios da competição.

Um(a) e outro(a) tem na memória os contornos da pista do Arena Torun e vão tentar tudo para “imitar” a lançadora Auriol Dongmo, que se sagrou campeã da europa no lançamento do peso, depois de per perdido a liderança e voltar ao caminho do título no ensaio seguinte. A estrelinha estava lá e acreditamos que vai voltar a estar neste domingo 7 de Março de 2021.

Este último dia conta ainda com a participação das velocistas Lorène Bazolo e Rosalina Santos, nas eliminatórias dos 60 metros planos, com a primeira a correr pelas 9h18 (1ª série) e a segunda pelas 9h40 (4ª série), dependendo dos resultados a possibilidade de poderem chegar às meias-finais (cerca da uma hora da tarde) e finais (16h45).

Atl-EuropeuPistaCoberta-Nascimento-06-03-2021Neste sábado, para além dos resultados a que aludimos em peça anterior, registe a presença der Carlos Nascimento na final dos 60 metros, onde foi 5º (6,65), melhor que os 6,68 na eliminatória mas pior (6,62) do que na meia-final, ainda com registos dignos de saliência.

Tendo sido o último a sair, face ao registo do tempo de reacção ao tiro de partida, Nascimento saiu algo “encolhido” e quando entrou no ritmo já estava a chegar, se bem que tenha obtido um excelente lugar.

“Acima de tudo sou o quinto Europeu”, referiu Carlos Nascimento no final da sua corrida e ao site da FPA, “pelo que não podia estar mais satisfeito. Cumpri o objectivo que tinha trazido, chegar à final”, tendo justificado que “tive a percepção de que algo não estava bem e procurei reagir, mas desta vez não fui a tempo. Nas provas de 60 metros não há margem para erros. É partir muito bem e continuar. Senti isso e ainda fui buscar alguns metros na fase final, o que demonstra que estou em grande forma”.

Adiantou ainda que “estes campeonatos eram um ponto de partida para uma época importante, com os Jogos Olímpicos no topo. Não me posso esquecer de que, antes, teremos a SuperLiga, com os oito melhores países europeus, onde está Portugal, pelo que pretendo também fazer boa figura, assim a preparação me possa ajudar”.

No quadro das medalhas, a Bélgica mantém-se na frente, com 3 (2 de ouro e 1 de prata), seguindo-se a Grã-Bretanha, com 5 (1-1-3); Holanda, com 3 (1-1-1); Espanha, com 2 (1-0-1) e, no quinto lugar, estão Portugal, República Checa, Grécia, Itália, Noruega, Suíça e Ucrânia, todos com uma medalha de ouro, entre 17 países já medalhados.

 

© 2022 Jogada do Mes. Todos os direitos reservados. XHTML / CSS Valid.