Sexta-feira 06 de Agosto de 2021

Belga Tim Merlier venceu terceira etapa do Tour de France

ASO / Charly Lopez ©

ASO / Charly Lopez ©

O belga Tim Merlier venceu, ao sprint, a terceira etapa do Tour de France, disputada esta segunda-feira entre Lorient e Pontivy, chegando ao fim dos 182,9 km na frente.

Foi um 1-2 com seu companheiro de equipa Jasper Philipsen, enquanto o francês Nacer Bouhanni fechou o pódio num final estragado que também mudou a classificação geral. No entanto, Mathieu van der Poel manteve a camisola amarela depois de abrir caminho para os vitoriosos companheiros de equipa.

Jelle Wallays (Cofidis), Michael Schär (AG2R-Citroën), Ide Schelling (Bora-Hansgrohe), Maxime Chevalier e Cyril Barthe (B & B-KTM) colocaram-se na frente após o primeiro quilómetro de corrida, obtiveram uma vantagem máxima de 3’15 ” no km 13.

Um forte acidente aconteceu em La Trinité-sur-Mer (km 37), forçando Robert Gesink (Jumbo-Visma) a se retirar enquanto Geraint Thomas (Ineos Grenadiers) permaneceu no chão com um ombro machucado. Voltou ao pelotão com a ajuda de seus companheiros de equipa Luke Rowe, Dylan van Baarle e Jonathan Castroviejo quando a corrida foi em Auray (km 49). A 100km do final, Valentin Madouas (Groupama-FDJ), Xandro Meurisse (Alpecin-Fenix) e Thomas De Gendt (Lotto-Soudal) lideravam o pelotão 2 ‘atrás dos cinco primeiros pilotos.

Schelling assumiu a liderança da classificação geral ao subir sozinho até o topo da icónica escalada do Cadoudal em Plumelec, após o que se sentou para esperar pelo pelotão. Wallays, Schär, Chevalier e Barthe permaneceram na frente. Chevalier rendeu-se a 13 km do final, já que o pelotão estava a 40”.

Ocorreu um acidente no pelotão 12 km antes da linha, que dividiu o pelotão com ciclistas como Lopez, Gaudu, Madouas e Cavendish a ser forçados a perseguir para trás.10 km antes do fim, Roglic caiu também. Sua equipa estava pronta para ajudá-lo, mas era uma missão impossível. Outra queda prejudicou Tadej Pogacar mais tarde, bem como Arnaud Démare, que não conseguiu contestar o sprint.

Van der Poel chegou à linha de chegada no papel de líder dos dois velocistas, Merlier e Philipsen, que rodaram no último quilómetro em posição perfeita. Atrás deles, Caleb Ewan e Peter Sagan desceram na última curva ligeira a 200 metros do fim. Merlier precedeu Philipsen na linha por um 1-2 para o time belga que reteve o Maillot Jaune com Van der Poel pelo segundo dia.

O holandêsTim Merlier (Alpecine-Fenix) cobriu os 182,9 km no tempo de 4h01m28s, tendo chegado com o mesmo tempo também os seguintes ciclistas: o belga Jasper Philipsen (Alpecin-Fenix), o francês Nacer Bouharini (Arker-Samsic) e os italianos Davide Ballerini (Deceuninck-Quick-Step) e Sonny Colbrelli (Bahrain).

Ruben Guerreiro (EF Education-Nippo) foi o melhor português, no 70º lugar, a 26 segundos do vencedor, enquanto Rui Costa (EAU) chegou na 101ª posição, a 1m27s.

Na geral, Mathiew Van Der Poel (Alpecin-Fenix), com 12h58m53s continua no comando, seguido do francês Julian Alaphilippe (Deuninck-Quick-Step), a 8 segundos e do colombiano Richard Carapaz (Ineos), a 31 segundos.

Ruben Guerreiro subiu ao 32º posto, a 3m09s do líder, com Rui Costa também a subir para o 77º lugar, a 9m20s, estando 178 ciclistas em prova.

Esta terça-feira, efectua-se a quarta etapa, entre Redon e Fougères, na distância de 150,4 km, numa etapa praticamente plana, com algumas subidas de pouca monta.

© 2021 Jogada do Mes. Todos os direitos reservados. XHTML / CSS Valid.