Sexta-feira 06 de Agosto de 2021

Pogačar ataca na hora certa no Tour de France e venceu 5ª etapa

Tadej Pogacar (Emirados Árabes Unidos) © ASO / Pauline Ballet

Tadej Pogacar (Emirados Árabes Unidos) © ASO / Pauline Ballet

Tadej Pogacar  derrotou os seus rivais no contra-relógio individual de 27,2 km de Changé a Laval, esta quarta-feira, para reafirmar a condição de favorito para vencer a competição. 

O ciclista esloveno deu sequência à importante vitória no contra-relógio final da edição anterior, em La Planche des Belles Filles, com outro lampejo de brilho e enviou uma mensagem clara aos seus adversários.

O suíço Stefan Küng, campeão europeu nesta disciplina, teve um desempenho sólido, mas ainda assim terminou 19 segundos atrás do líder da equipe dos Emirados Árabes Unidos, que disparou pelo percurso a uma velocidade média de mais de 50 km / h.

O início do contra-relógio, realizado sob nuvens agourentas, foi uma chamada para os ciclistas feridos nas etapas anteriores. Tony Martin, uma sombra do ciclista que ganhou o campeonato mundial contra-relógio quatro vezes, conseguiu um tempo decente de 35′33 ″, enquanto o quatro vezes vencedor do Tour, Chris Froome, teve que trabalhar duro para conseguir um tempo de 36′20 ″, Logo à frente de Marc Hirschi em 36′28″.

O céu abriu-se, aumentando as perspectivas do líder provisório e impedindo seus rivais de dar tudo de si. Brandon McNulty (Emirados Árabes Unidos) caiu e foi forçado a seguir com os joelhos ensanguentados.

Bjerg já havia ocupado a área “Kiss and Cry” por mais de duas horas quando Mattia Cattaneo (Deceuninck – Quick-Step) finalmente o tirou da cadeira quente por seis segundos. No entanto, as esperanças do italiano duraram pouco: um dos grandes favoritos, Stefan Küng, teve uma actuação impecável para saltar sobre Cattaneo por 36 segundos e assumir a liderança com um tempo de 32′19″.

A uma velocidade média de mais de 50 km / h, parecia o suficiente para vencer a etapa, a menos que um dos favoritos gerais ainda tivesse um ás na manga. Dois outros dinamarqueses, Jonas Vingegaard e Kasper Asgreen, saíram com todas as armas em punho, em nítido contraste com o esforço metronómico de Primož Roglič.

Entretanto, Geraint Thomas, ainda com as sequelas de uma luxação do ombro, já estava a conceder 25 segundos na primeira verificação de tempo intermédio (km 8,8). Vingegaard terminou a etapa 8 segundos abaixo, com Asgreen a 18 segundos e Roglič 25 segundos atrás do líder, cujo tempo parecia inatacável.

Tadej Pogačar registrou um melhor tempo intermediário após o outro (liderando por 10 segundos no km 8,8 e 17 no km 17) e disparou o contra-relógio para lembrar a todos que ele é o ciclista a ser batido nesta edição. O esloveno está 22 segundos à frente de Wout van Aert e 40 segundos à frente de Julian Alaphilippe.

Em resumo, o vencedor foi o esloveno Tadej Pogacar (EAU), com 32 minutos exactos, à frente do suíço Stefan Kung (Groupama-FDJ), a 19 segundos, e do dinamarquês Jonas Vingegaard (Jumbo-Visma), a 27 segundos. Lugares seguintes para o belga Wout Van Aert (Jumbo-Visma), a 30 segundos e para o holandês Mathieu Van Der Poel (EFEducation-Nippo), a 31 segundos.

Quanto aos portugueses, Ruben Guerreiro continua a ser o melhor, tendo chegado na 42ª posição, a 2m09s do vencedor, enquanto Rui Costa chegou no 141º lugar, a 4’45”.

Na geral, o holandês Van Der Poel (Alpecin-Fenix) continua a liderar, agora com o total de 16h51m41s, seguindo-se o esloveno Tadej Pogacar (EAU), a 8 segundos; o belga Wout Van Aert (Jumbo-Visma), a 30 segundos; o francês Julien Alaphilippe (Deceuninck-Quick-Step), a 48 segundos; e Alexei Lutsenko (Astana), a 1’21”.

Ruben Guerreiro (EFEducation-Nippo) continua na 32ª posição, a 4’47” do líder, com Rui Costa (EAU) em 89º, a 14’41”.

Esta quinta-feira, no primeiro dia de Julho, disputa-se a 6ª etapa, entre Tours e Cháteauroux, numa distância de 160,6 km, num percurso praticamente plano, com altos e baixos de pouca monta.

 

© 2021 Jogada do Mes. Todos os direitos reservados. XHTML / CSS Valid.