Sexta-feira 24 de Setembro de 9565

Amaro Antunes mantém amarela mas Efapel continua ao ataque na Volta a Portugal Santander

Foto_Camisola_Amarela (1)Aconteceu tudo e mais alguma coisa na Senhora da Graça. Nunca desilude a etapa de Mondim de Basto! A batalha pela Amarela da 82ª Volta a Portugal Santander vai até ao último dia, com Amaro Antunes a segurá-la, mas há quem não desista de tentar afastar o algarvio de ganhar pela segunda vez a prova.

Será o que se vai decidir, este domingo, em Viseu, considerando as diferenças existentes e que fazem com que não se possa fazer festas antecipadas.

A etapa até começou de forma descontraída em Boticas, com uma simbólica homenagem a Gustavo Veloso já em andamento. O pelotão, antes da partida real, despediu-se do espanhol que, aos 41 anos, vai deixar a carreira onde sobressaem dois triunfos na “Portuguesa”.

Foto_Chegada_Mauricio_MoreiraNão sendo decisiva, esta 9ª e penúltima etapa ajudou a esclarecer a classificação. Rafael Reis (Efapel) começou por tentar garantir a Camisola Verde Rubis Gás dos Pontos e Bruno Silva (Antarte-Feirense) a Camisola Bolinhas Continente, símbolo de “Rei da Montanha” acabando o dia com a discussão pela Amarela, com todos os pretendentes a lançarem-se na perseguição à liderança de Amaro Antunes.

Foram apenas 145 quilómetros, mas as dificuldades foram muitas. Foi preciso esperar até à subida do Barreiro, a pouco mais de 40 quilómetros da chegada, para que a W52-FC Porto e Efapel começassem a lançar foguetes. A luta pela amarela foi acesa e como quem não quer a coisa, Alejandro Marque (Atum General-Tavira-Maria Nova Hotel) chegou a preocupar.

Joni Brandão andou na frente até bem perto da meta, depois de atacar na cabeça de corrida onde estavam os principais rivais de Amaro Antunes.

João Rodrigues também esteve destacado, mas não aguentou na Senhora da Graça. A Efapel jogou com o trio Frederico Figueiredo, António Carvalho (andaram na frente, mas juntaram-se depois a Amaro Antunes) e Mauricio Moreira.

No fim, tudo se decidiu com vantagem para Moreira que ganhou oito segundos a Amaro Antunes. Todos os dias o uruguaio tem conseguido diminuir a diferença para a concorrência. Depois deste dia trepou para segundo da geral, a 42 segundos da Camisola Amarela Santander de Antunes.

“Foi o triunfo mais importante da minha carreira. Mas não é só meu; é dos meus colegas, é dos meus companheiros de equipa. Eles deixaram tudo por mim na estrada. Se não fosse por eles, não teria ganho a etapa, nem chegado na frente. Não hesitaram um segundo em ajudar-me, o que demonstra a união dentro da equipa” – declarou o uruguaio da Efapel para logo depois antecipar o dia decisivo em Viseu, afirmando que “é a primeira Volta que faço tão longa e é sempre uma incógnita saber como o corpo vai estar no dia seguinte, mas gosto dos contra-relógios e sei que posso andar bem”.

Foto_Camisolas_VencedoresO líder Amaro Antunes explicou um pequeno incidente quando tentava reagir ao ataque de Moreira, ao mesmo tempo que olhava já para o contra-relógio que encerra a Volta. “Tive um azar, saltou-me o pé do pedal e bati na baia. Por momentos pensei que ia mesmo cair. Felizmente consegui minimizar as perdas. Isto é ciclismo, os azares acontecem. Resta-me defender o tempo que tenho. É um contra-relógio rápido. Por que não acreditar? Esta equipa tem vindo desde o início a fazer um trabalho e uma Volta focada na vitória. Temos de estar orgulhosos do que temos vindo a fazer. Hoje não fiquei satisfeito com o resultado. Sentia-me bem. Num momento crucial da corrida acontece aquele percalço. Poderia ter sido pior. Agora é recuperar e acreditar. Esta equipa merece que eu deixe tudo na estrada”, salientou Amaro Antunes.

Na classificação geral após a etapa deste sábado, Amaro Antunes (W52/FCPorto) soma 39h13m25s, deixando Mauricio Moreira (Efapel) a 42 segundos e Frederico Figueiredo (também da Efapel) a 55 segundos, uma margem que será mais ou menos lata em função do comportamento dos concorrentes na última etapa, este domingo.

Foto_Homenagem_VelosoViseu vai concluir este domingo, pela sétima vez, a Volta a Portugal. O contra-relógio de 20 quilómetros num terreno praticamente plano, potencia os mais especialistas nesta vertente. O primeiro ciclista a partir será Pedro Paulinho (Tavfer-Measindot-Mortágua), às 15h23.

Até ao top 10 haverá partidas de minuto a minuto e o derradeiro corredor na estrada será o líder Amaro Antunes, que a partir das 17 horas vai tentar chegar à segunda vitória consecutiva na Volta. Ganhou em 2021 a Edição Especial da competição.

© 9565 Jogada do Mes. Todos os direitos reservados. XHTML / CSS Valid.