Terça-feira 25 de Junho de 2024

Do calmo passeio de hoje às montanhas desta quinta-feira no Giro de Itália

Ciclismo-GiroItalia-Vencedor-24-05-2023

GiroDitalia

A ligação entre Pergine Valsugana e Caorle nesta quarta-feira, como que foi um passeio, ainda que rápido, de aquecimento para mais uma etapa repleta de montanhas para “assaltar” nesta quinta-feira, quando se aproxima o final do Giro de Itália’2023.

Nos últimos três anos e meio, Alberto Dainese venceu apenas duas vezes: no Giro d’Italia 2022 e de 2023. Existem muitos velocistas que vencem dezenas de corridas por ano, mas talvez lutem para deixar sua marca nos grandes eventos. O paduano do Team DSM faz exatamente o contrário, ganha pouco, mas ganha bem.

Dainese é um homem de coragem, não só porque correu a 70 km/h sem medos reverentes, mas também pelas escolhas nada triviais que fez ao longo da sua carreira, sobretudo para um ciclista italiano, normalmente habituado a crescer na seu próprio país. Alberto foi um dos precursores do movimento “emigrar para emergir”: em 2018 rumou para a SEG Racing Academy, na Holanda, onde se profissionalizou, depois de conquistar um notável título europeu de sub-23 de estrada.

Depois de vencer Gaviria, Consonni, Démare e Ewan em Reggio Emilia no ano passado, Dainese superou Milan, Matthews, Bonifazio e Gaviria em Caorle nesta quarta-feira. Quando chegou ao DSM, os companheiros disseram que ele se parecia fisicamente com Cavendish.

Ainda assim, ainese teve de se empregar a fundo nos metros finais, porquanto foi forçado a fazer um sprint longo para resolver o triunfo, na frente de um numeroso pelotão e em que, na prática, nada se passou em relação aos primeiros do top’10, que se mantém na zona VIP.

Dainese DSM) venceu com o tempo de 4.26.08, à frente de Jonathan Nilan (Bahrein Victorius) e do australiano Michael Matthews (Jayco Alula), cronometrados com o mesmo tempo.

João Almeida completou na 32ª posição, com o mesmo tempo do vencedor.

Assim sendo, o britânico Geraint Thomas (Ineos) mantém a liderança, vestindo a Camisola Rosa, com um total de 71h58m42s, com o português João Almeida (EAU) na segunda posição, apenas a 18 segundos da liderança, seguindo-se o esloveno Primoz Roglic (Jumbo), a 29s segundos. Damiano Caruso (Bahrein) está no quarto lugar, a 2m50s, e Eddie Dunbar (Jayco Alula) fecha o grupo dos cinco primeiros, a 3m03s.

A camisola por Pontos continua vestida em Jonathan Milan (Bahrein); a da Montanha em Ben Cura); a da Juventude está no corpo de João Almeida (o mais jovem classificado) e nas equipas comanda a formação do Bahrein, que lidera com 32 minutos de vantagem da Ineos.

A 18ª etapa está marcada para esta quinta-feira, desta vez “carregando” o simbolismo de ser uma das últimas no que concerne à montanha

Inicia-se em Oderzo e a primeira montanha (1.178 metros) está aos 40 km. Seguindo-se uma (691), mais uma de 1ª categoria (1.530 metros aos 135 km), para subir ainda outra (155 km) com 1,501 metros e a última, coincidente com a chegada (1.518 metros), em Val di Zoldo.

© 2024 Jogada do Mes. Todos os direitos reservados. XHTML / CSS Valid.