Sexta-feira 23 de Maio de 6375

Revolta no “topten” atrasou portugueses no Tourmalet da Vuelta 2023

Vuelta2023-Vencedor-08-09-2023

La Vuelta 2023

A formação lusa sofreu um “trambolhão” na que foi a 13ª etapa da Vuelta 2023, realizada esta sexta-feira, com todos os nossos compatriotas a descerem lugares (João Almeida de 6º para 10º), sendo que o lanterna Vermelha é Rui Oliveira (Emirates), que se encontra no 156º e último lugar.

Com três montanhas de alto gabarito, todas a mais de 1.300 metros de altitude – a última na chegada, com o temível Passo do Tourmalet a marcar 2.115 metros – era certo que algo podia surgir, porquanto a saúde (mental e física) tinha começado a dar sinais do esforço desenvolvido até à 12ª etapa.

Arranque dali puxão dacolá “soprado” de vários lados, os ciclistas completaram os 135 km em esforço mais ou menos inglório, para os objetivos de cada um, em especial os portugueses, que tiveram uma caída significativa, que pode ser revertida neste sábado, pese embora as montanhas para ultrapassar sejam de um calibre semelhante ao desta sexta-feira, o que não vai ajudar.

Mas isso fica para depois

O dinamarquês Jonas Vingegaard (Jumbo-Visma), juntamente com os colegas de equipa Sepp Kuss (que é o líder da geral) e Primoz Roglic fizeram um “assalto” ao pódio e conquistaram os três primeiros lugares, fazendo modificar a tabela classificativa tal e qual estava a caminhar para um domínio completo de todas as operações, porquanto não há adversários à altura, ainda que ainda faltem mais uma semana de corrida.

Na etapa 13, Jonas Vingegaard (Jumbo) foi o primeiro, com o tempo de 3h51m10s, deixando atrás de si Sepp Kuss, a 30 s, e Primoz Roglic a 33 segundos. Chegou depois o espanhol Juan Ayuso (Emirates), a 38 segundos e o belga Cian Ulgtdebroeks (Bora.Hansgrothe, a 38 segundos também.

João Almeida (Emirates) chegou em 15º, a 6m47s, seguindo-se Nelson Oliveira (Movistar) a 26m25s (45º), Rui Costa (Intermarché) a 27m16s (65º), André Carvalho (Cofidis) a 32m34s (112º) e Rui Oliveira (Emirates), a 34m21s (147º), sendo que o número total de chegados foi de 156.

Após isso, a classificação geral continua a ser liderada pelo norte-americano Sepp Kuss (Jumbo), com 46h42m54s, seguindo-se Primoz Roglic (Jumbo), a 1m37s; Jonas Vingegaard (Jumbo), a 1m44s; Juan Ayuso (Emirates), a 2m37s; e Eric Mas (Movistar), a 3m06s.

Sobre os portugueses, João Almeida (Emirates) desceu do 6º ao 10º lugar (a 8m39s); Rui Costa (Intermarché) desceu ao 45º lugar, a 1h09m01s; Nelson Oliveira (Movistar) manteve o 49º posto (a 1h12m31s); André Carvalho (Cofidis) subiu ao 143º lugar (a 2h23m07s) e Rui Oliveira (Emirates) manteve-se no 156º lugar (a 1h57m09s), onde passou a ser o último.

Nas outras classificações Kaden Groves (Alpecin) comanda os Pontos; Jonas Vingegaard (Jumbo) na Montanha; Juan Ayuso (Emirates) lidera a Juventude e a Jumbo-Visma segue na frente da classificação coletiva.

Neste sábado, a 14ª etapa leva os ciclistas de Sauvaterre-de-Bréarn a Larra-Belagura, com quatro montanhas de fazer respeito a qualquer um dos comuns mortais (1.440 metros aos 65 km; 1.579 aos 109 km; 1.119 metros ao km 122; 1,587 metros ao 122 km, em cima do qual os ciclistas “aterram”.

Em mais uma ronda de obstáculos por todo o caminho.

 

© 6375 Jogada do Mes. Todos os direitos reservados. XHTML / CSS Valid.