Quarta-feira 04 de Março de 7885

Samuel Barata e Susana Godinho Santos para levar Portugal ao top de Paris

Samuel Barata_ Susana Godinho Santos

COP

Samuel Barata e Susana Godinho Santos qualificaram-se, este domingo, para os Jogos Olímpicos de Paris 2024 após terem batido os recordes pessoais obtidos na Maratona de Valência, 2.07.35 e 2.25.35, respetivamente.

Samuel Barata, que esteve a estagiar em altitude (Quénia), apresentou-se motivado pelo recente recorde nacional em meia-maratona (59m40s). Em Valência, acompanhou um grupo que corria para baixar das 2h08 (como afirmou antes da competição) e passou mesmo à meia-maratona em 1.02.54.

Mantendo o ritmo (terminou com a média de 3m02s ao quilómetro), Samuel Barata terminou a prova no 22º lugar com 2h07m35s, a terceira melhor marca portuguesa de sempre, atrás dos 2.06.36 de António Pinto (2000) e dos 2.07.12 de Carlos Lopes (1985).

Este resultado, que melhora o anterior recorde pessoal (2.10.13) em 2m38s, é marca de qualificação direta para os Jogos Olímpicos de Paris 2024, o principal objetivo do atleta português.

Também Susana Godinho Santos obteve esse objetivo, ao terminar a corrida em 2.25.35, um recorde pessoal melhorado em 3m21s (era de 2.28.56). A atleta que, também bateu recentemente o seu recorde pessoal de meia-maratona em Valência (1.10.53), conseguiu superar a marca de qualificação direta para Paris 2024.

A Equipa Portugal conta com oito modalidades asseguradas em Paris 2024, com 23 quotas equivalentes a 25 atletas – o Ciclismo de Estrada masculino (prova em linha e contrarrelógio), o K2 500 (Canoagem) e a Classe 470 mista (Vela) são representadas por dois atletas cada.

Nas modalidades, o atletismo passou a ter 6 atletas definidos, a ginástica (1), a natação (4) e o surf (1), a que se juntam a canoagem, ciclismo, tiro com armas de caça e vela (dentro do quadro das quotas definidas).

Depois da ausência a grande nível (quando Carlos Lopes conquistou o ouro em 1984 e Rosa Mota atingiu o primeiro lugar do pódio em 1988), 2004 poderá ser, vinte anos depois, o regresso ao grande palco da maratona olímpica de uma dupla representação portuguesa, no também regresso ao Velho Continente (Europa), com os dois jovens fundistas a poderem fazer história, face aos resultados ora obtidos, recolocando a área do fundo no lugar que merece e que foi uma tradição de ouro.

Recorde-se, a propósito, que Portugal conquistou, nos Jogos Olímpicos, 28 medalhas (5 de ouro, 9 de prata e 14 de bronze), tendo o atletismo arrecadado 12, das quais cinco de ouro, no que é a única em Portugal. Só por isso – se mais não houvesse – devia ser condecorada como um prémio especial de Honra ao Mérito! Pode ser que esteja a caminho!

Com tanto futebol por todo o lado, no masculino e feminino, correr, correr, correr (atletismo) é o melhor que há, numa modalidade que tem espírito desportivo, fair play, ética, transparência e integridade, superando-se e transcendendo-se todos os dias!

Outros portugueses também estiveram na Maratona de Valência, destacando-se Rui Pinto (57º, com 2.13.07), João Valente (104º, com 2.16.57) e João Fernandes (114º, com 2.17.21).

 

© 7886 Jogada do Mes. Todos os direitos reservados. XHTML / CSS Valid.