Domingo 04 de Março de 0733

Programa IMPULSO / Bolsas de Educação dos Jogos Santa Casa beneficiou 48 atletas para 2024

A cerimónia de entrega das Bolsas em apreço realizou-se esta quarta-feira, na Sala de Extrações da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, e atribuiu 48 bolsas a atletas – 39 a atletas olímpicos e esperanças olímpicas e 9 a atletas paralímpicos e surdolímpicos – de 26 modalidades diferentes, duas delas pela primeira vez: Ténis de Mesa e Voleibol.  

O valor total das bolsas atribuídas foi de 133.500 euros, sendo que os novos bolseiros incluem atletas que têm a particularidade de integrarem o Programa de Preparação Olímpica e o Programa de Preparação Paralímpica, com vista aos Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Paris 2024, que se realizam este verão.

BolsasSantaCasa-07-02-2024

Jogos Santa Casa

Depois do impasse criado pela mudança de gestão na Santa Casa da Misericórdia de Lisboa – que levou a uma reformulação do sistema de ajudas a vários projetos apoiados por esta entidade, com o desporto a ter estado nas bocas do mundo quando se colocou a hipótese de “fechar esta vertente”, os esforços desenvolvidos no sentido de manter o processo deram resultado e as Bolsas de Educação voltaram à tona de água.

Incentivar e ajudar os atletas olímpicos, esperanças olímpicas, paralímpicos e surdolímpicos a conciliarem a carreira académica com a desportiva e, deste modo, evitar o abandono prematuro do desporto de alto rendimento, é o objetivo do Programa IMPULSO | Bolsas de Educação Jogos Santa Casa que, este ano, celebra a 11ª edição.

A ginasta olímpica Filipa Martins, que participou nos Jogos Olímpicos Rio 2016 e Tóquio 2020, e que criou com o seu treinador um novo elemento técnico, “Martins”, reconhecido no código de pontuação internacional, e estudante finalista de mestrado em Treino de Alto Rendimento, teve oportunidade de afirmar que “receber esta bolsa é sempre muito gratificante, pois para além de ser um ótimo apoio motiva-nos a continuar a estudar paralelamente ao treino. A maior parte das vezes precisamos de fazer a faculdade em mais anos do que os previstos, para um melhor rendimento desportivo, e esta bolsa é fundamental para conseguirmos terminar o nosso curso demorando mais ou menos tempo.”

Diogo Cancela, nadador paralímpico vice-campeão do mundo e estudante em engenharia eletrotécnica e de computadores, não tem dúvidas quanto à importância desta bolsa na sua vida, tendo salientado que “a Bolsa de Educação Jogos Santa Casa é uma iniciativa muito importante para nós, atletas-estudantes, porque atribui um montante que não nos é possível obter através de uma eventual ocupação laboral, devido à nossa carga horária de treinos e estudos. É um grande apoio para as nossas despesas universitárias ao longo do ano e permite-nos continuar a estudar e a treinar com resultados positivos”.

Sob o mote “Juntamos a educação à ambição desportiva”, o Programa IMPULSO | Bolsas de Educação Jogos Santa Casa nasceu em 2013 e tem como parceiros o Comité Olímpico de Portugal (COP) e o Comité Paralímpico de Portugal (CPP). Desde a primeira edição já atribuiu 470 Bolsas a 231 atletas, de 26 modalidades, num valor superior a 1,3 milhões de euros.

A Provedora da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, Ana Jorge, dirigindo-se aos atletas, referiu que “muitas vezes, após uma carreira na alta competição, fica um vazio e esta é uma oportunidade de poderem seguir o vosso desempenho como pessoas numa sociedade que se quer equitativa. A Santa Casa não pode de maneira nenhuma deixar de estar a integrar e a apoiar este projeto. Temos as nossas dificuldades, que foram conhecidas, mas obviamente que temos de fazer opções e esta é uma opção que corresponde à nossa missão enquanto Santa Casa.”

O Secretário-geral do Comité Olímpico de Portugal, José Manuel Araújo, por seu lado, salientou que “este passo dado em conjunto entre a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, o Comité Olímpico de Portugal e o Comité Paralímpico de Portugal tem o objetivo de dar o impulso, aquele sinal, a todos os atletas, que queremos deles o máximo, mas também queremos que se desenvolvam do ponto de vista académico.”

COP Jogos Santa CasaOs Atletas bolseiros integrados nos Projetos de Preparação Olímpica e Esperanças Olímpicas, são os seguintes:

Atletismo: Francisco Belo, Inês Mendes, João Coelho, Lourenço Rodrigues, Mariana Machado, Mariana Pestana e Patrícia Silva

Canoagem: António Ribeiro, Beatriz Fernandes, Gustavo Gonçalves, Inês Penetra, João Castro Silva e Pedro Casinha

Ciclismo: João Cruz

Esgrima: Maria Alvim

Esqui Alpino: Manuel Ramos

Ginástica: Filipa Martins, Miguel Marianito, Pedro Ferreira e Sofia Correia

Judo: Bernardo Tralhão, Guilherme Silva, Patrícia Sampaio, Raquel Brito e Rochele Nunes

Natação: Angélica André, Camila Rebelo, Francisca Martins, Gabriel Lopes, Kevin Apseniece e Miguel Nascimento

Remo: Dinis Costa

Ténis de Mesa: Inês Matos

Tiro com Armas de Caça: Inês Matos

Triatlo: João Pereira e Melanie Santos

Vela: Beatriz Gago e Diogo Costa

Voleibol: Hugo Campos

Para o Presidente do Comité Paralímpico de Portugal, José Manuel Lourenço, “este tipo de apoio tem um grande significado pelo que já proporcionaram aos atletas que estiveram (ou ainda estão) no projeto e também para os vindouros, porque encontram nele um instrumento para o futuro, com o qual poderão contar nos pós carreira”.

Os atletas paralímpicos e surdolímpicos beneficiados foram:

Atletismo – Ana Margarida Filipe e Miguel Monteiro

Badminton – Diogo Vilela Daniel

Ciclismo – Telmo Pinão

Equestre – Pedro Manuel Félix,

Natação – Ana Filipa Castro, Diogo Cancela, Susana Veiga e Tomás Coelho Cordeiro

O Secretário de Estado da Juventude e Desporto, João Paulo Correia, sublinhou que “importa, porque é impactante, continuar a investir naquilo que é a carreira dupla, de modo que os atletas possam conjugar a atividade desportiva e a carreira académica, projetando o futuro profissional”.

Lembrou ainda João Paulo Correia que “o projeto das UAARE – Unidades de Apoio ao Alto Rendimento na Escola, criado em 2015, é outra ferramenta que está de pedra e cal face ao êxito alcançado, mesmo em termos europeus – é único e icónico neste espaço da Europa – porquanto existem 25 unidades espalhas do Minho ao Algarve, por lá passaram e mantém-se 1.300 jovens atletas de 55 modalidades, o que é um projeto ganhador para Portugal”.

João Paulo Correia sublinhou também que “em termos de pós carreira, foi aprovada, ratificada e publicada legislação que permite entre 150 e 200 vagas para aceder ao ensino superior sem cumprir as regras para o regime geral e, ainda, foram criados mecanismos tendentes a integrar nos quadros da função pública atletas de alto rendimento que tenham terminado a carreira e prossigam a vida como um normal cidadão”.

Na cerimónia esteve ainda presente o Administrador da Santa Casa com o Pelouro do Departamento de Jogos, Nuno Miguel Alves.

© 0733 Jogada do Mes. Todos os direitos reservados. XHTML / CSS Valid.