Terça-feira 25 de Junho de 2024

Liliana Cá alcançou a medalha de bronze no europeu de Atletismo de Roma24

Liliana Cá conquistou a medalha de bronze no lançamento do disco, nos Campeonatos Europeus de Atletismo que decorrem em Roma (Itália), prova em que Irina Rodrigues ficou em quarto lugar.

Atl-EuropeuRoma-Liliana_Ca-08-06-2024

FPA / Sportmedia

Liliana Cá abriu com 61,42 metros e Irina fez um pouco melhor, 62,09, e ambas mostraram ao que iam. No resto do concurso, Liliana acertou um lançamento de 64,53 metros e começou a lutar pelas medalhas, embora fazendo nulo no terceiro ensaio.

Liliana obteve a 9ª medalha de bronze para Portugal nestes campeonatos, cujo número total passou a ser de 39).

Irina, que estava em boa posição, lançou a 60,78 e melhorou para 62,76. Ambas em lugar de finalistas, Liliana em segundo, Irina em quarto lugar. No quarto ensaio Liliana alcançou os 61,43 metros e Irina os 62,23. No quinto ensaio, as cinco primeiras fizeram nulo.

Depois do apagão, a holandesa Jorinde Van Klinken, já medalhada no peso, ultrapassou Liliana Cá que estava na segunda posição. Na resposta a portuguesa alcançou os 63,06 metros e conquistou a medalha de bronze. Mais uma vez (pela sétima vez), Sandra Perkovic-Elkasevic sagrou-se campeã europeia.

“O segredo do resultado hoje deveu-se a descontração e não querer pensar em medalhas; queria lançar o mais longe possível, pois sabia que tinha trabalhado para isso. Sentimos sempre alguma ansiedade, mas ficando nas três primeiras deixa-nos mais relaxadas e podemos reagir melhor”, disse a medalhada, que assumiu que “o lançamento dos 64 metros deixou-me confiante. Estava tão descontraída e mole que pensei não conseguir lançar”.

A viver o seu sonho, Liliana Cá, “embora ainda me custe a acreditar”, vive momentos e sentimentos “que nunca senti. Desejo muito continuar neste sonho, tão bom” refere, recordando as finais em que ficou muito perto das medalhas, mas sem as conquistar.

As duas atletas na final é da maior felicidade para a atleta. “Nós somos muito amigas e damos muita força uma à outra. Quando estou só nas competições, sinto que sou eu contra o Mundo. Quando estou com ela já sei que somos duas contra o Mundo” afirma sempre com Irina a seu lado. Esta medalha a atleta dedica aos seus filhos.

Porém a época ainda não acabou. “Agora é continuar com o mesmo pensamento de sempre, alcançar as finais, depois lançar o mais longe possível para ficar nos melhores lugares”.

Na qualificação dos 100 metros, três portuguesas, dois destinos diferentes. Logo na primeira das três séries eliminatórias, Lorene Bazolo correu a prova em 11,35 segundos, no sexto lugar, e teve de esperar pela última das séries para saber se estava no lote das 14 apuradas para as meias-finais. “Fiquei um pouco ansiosa para saber se fui ou não apurada, porquanto queremos sempre mais, mas de manhã é sempre muito complicado, mas tentei ter sangue-frio e ser eficaz. Qualificar-me é uma satisfação e agora é recuperar e preparar-me para essa corrida”, concluiu Lorene Bazolo, referindo-se à meia-final dos 100 metros, este domingo, às 20h05.

Atl-EuropeuRoma-Obstaculos-08-06-2024

FPA / Sportmedia

Quanto às restantes atletas, Arialis Gandulla, foi sétima classificada com 11,65 segundos, e Rosalina Santos também foi sétima, com 11,62 segundos, tendo sido eliminadas,

Antes, Etson Barros enfrentou uma dura experiência na sua carreira. Na segunda série dos 3.000 metros obstáculos, o português chegou a andar no grupo da frente, mas depois ficou “fechado” no grupo, saiu da pista para evitar um atleta belga que caiu, mais tarde levou uma pisão que lhe descalçou o sapato e cumpriu mais de três voltas com um pé descalço e chegou mesmo a parar um pouco. No final registou 8m55s33”.

“Não está no meu ser a desistência, por isso acabei a prova. Queria mais, chegar à final, e ali nem se pensa em ser quarto ou quinto, quer-se é estar na luta pelos oito primeiros. Agora levo daqui a experiência para poder fazer muito melhor”, referiu.

Na segunda corrida dos 400 metros, Omar Elkhatib ficou em segundo lugar, com 45,80 segundos, garantindo assim a presença na meia-final neste domingo (19h38).

“Fiz uma prova controlada. Tentei garantir o segundo lugar, guardando energias para o que ainda vem. A meia-final vai exigir muito e venho de duas semanas muito complicadas com viagens e corridas. Mas o meu objetivo é dar o máximo e tentar chegar à final. Sinto-me preparado para tudo”, afirmou o atleta.

A última portuguesa a entrar em pista foi Cátia Azevedo. A recordista de Portugal correu na primeira série, terminou em quinto lugar com 52,53 segundos.

Atl-EuropeuRoma-08-06-2024

FPA / Sportmedia

Cátia analisou a sua corrida. “Não comecei mal, senti-me dentro da corrida, mas na fase final faltou-me um pouco para ser melhor. Tive umas condicionantes. Depois de uma excelente época de pista coberta conheci o reverso. Durante quatro semanas, devido a uma lesão, não foi possível fazer o trabalho que queríamos, para poder chegar aqui a 300 por cento como eu gosto”, referiu. “Estou triste por não conseguir fazer melhor e ficar tão perto, pois queria apurar-me para as meias-finais, mas esta corrida dá-nos sempre experiência e ensinamentos para o que ainda queremos enfrentar”.

Neste domingo, o dia inicia-se com as provas da meia maratona, que começam no Foro Imperiali, no centro da cidade, percorrendo depois cerca de seis quilómetros até entraram num circuito onde farão três voltas completas antes de entrarem no Estádio Olímpico, onde está instalada a meta.

A partida para a meia-maratona masculina será dada às 8h00 (hora portuguesa, menos uma hora que em Roma) e nela estarão presentes quatro portugueses: Samuel Barata, o recordista português da distância, Rui Pinto, Hélio Gomes e Miguel Borges. Para além do cariz individual, que premeia os três melhores, esta prova tem uma classificação coletiva, com base na soma das marcas dos três melhores atletas de cada país. Aqui estarão 66 atletas, com 12 equipas a poderem pontuar.

Meia hora mais tarde (8h30) partem as atletas para a meia-maratona feminina. Susana Santos, Solange Jesus, Salomé Rocha e Vanessa Carvalho formam a equipa lusa. Estarão em competição 69 atletas e 10 equipas.

Na pista, às 9h45, começa o apuramento para a final do triplo-salto masculino. Pedro Pichardo, campeão europeu em título, estará no grupo B, Tiago Pereira estará no grupo A. Qualificam-se diretamente os atletas que saltarem 16,65 metros ou os 12 primeiros classificados.

Mais tarde, às 11h40, Vera Barbosa estará na 1ª eliminatória de 400 metros barreiras, com Fatoumata Diallo a alinhar na 3ª eliminatória (11h58). Passam às meias-finais as 13 atletas com melhores marcas.

Às 12h20, na primeira eliminatória dos 400 m barreiras, estreia de Mikael Jesus. Passam às meias-finais os 12 atletas com melhores marcas.

No final do primeiro dia de competições neste europeu, foram batidos dois recordes dos campeonatos (Nadia Battocletti, Itália, nos 5000 Metros – 14:35.29 e a formação de 4×400 metros Mistos da Irlanda, com 3.09,92), batidos sete recordes nacionais, 35 recordes pessoais, dois melhores líderes mundiais e dois líderes europeus, o que é um pecúlio razoável na abertura.

Na jornada da tarde, a partir das 19h38 teremos as meias-finais dos 400 metros planos, com João Coelho e Omar Elkhatib, e às 20h13 com Lorene Bazolo nas meias-finais dos 100 metros.

A única final com portugueses chegará às 21h40, nos 1500 metros femininos, com Salomé Afonso.

 

© 2024 Jogada do Mes. Todos os direitos reservados. XHTML / CSS Valid.