Segunda-feira 22 de Julho de 2024

Chuva abençoada ajudou Portugal a vencer a Chéquia no europeu da Alemanha

FPF-EuropeuAlemanha-18-06-2024

FPF

A chuva abençoada que caiu no Estádio – o que se foi concluindo quase desde o apito inicial do árbitro – acabou por beneficiar Portugal, mais “mandrião” mas também todo poderoso pelo domínio conseguido durante os 90 minutos de jogo.

Mais passiva, com pouca queda para tentar chegar aos golos, a Chéquia limitou-se a gerir o espaço que ocupava e não teve grande iniciativa atacante, antes fechar todas as linhas que impedissem a formação lusa de fazer mais e melhor, ainda que, várias vezes, se notasse que os lusos queriam chegar a uma perfeição que, por norma, não é possível em jogos deste quilate, se bem que os homens de Roberto Martinez estavam atentos, ainda que tivessem dado uma abébia à Chéquia, por inércia atacante, preferindo os passes mas sem progredir como se poderia desejar.

Basta recordar, segundo as estatísticas, os 707 passes feitos pela formação portuguesa contra os 355 da Chéquia, com um grau de precisão de 87/65%, num total de 74/26% de posse de bola, para dizer ainda que até aos 62’ não houve golos, se bem que os adversários também não tivessem tomado as devidas cautelas, apesar de a chuva ser favorável, dado o maior porte físico, tendo sido a chuva que acabou por beneficiar Portugal, atendendo ao simples momento (90+2’) em que, sob maior pressão de Portugal, a equipa que jogou em casa teve a felicidade de ter um guarda-redes que defendeu quase tudo, mas não no referido momento, em que o defesa tentou desviar (e conseguiu) a bola, mas fê-lo com o joelho, no preciso momento em que o guarda-redes escorregou (devido à chuva) e Francisco Conceição, qual “rato” da sacristia, numa arrancada preciosa, se intrometeu e fez o golo do triunfo luso, numa “salvação” elevada à transcendência.

Antes (62’), quando a defesa lusa se desconcentrou e deixou uma faixa de terreno sem uma cobertura homogénea, o que permitiu à Chéquia abrir o marcador, por intermédio de Provod que, num remate de fora da área, aproveitou as abertas existentes e rematou forte para um golo de belo efeito.

Outra felicidade para Portugal adveio do “forcing” de Mendes, que cabeceou para a baliza e o guardião defendeu, não tendo conseguido segurar a bola que, por efeitos mais ou menos mágicos, bateu no joelho do defesa e regressou para a baliza, num autogolo que beneficiou a equipa nacional.

Em termos de jogo jogado, apesar da referida supremacia portuguesa, pouca arte se viu, a não ser a da sorte – e essa esteve pelos portugueses – que acabaram por aproveitar a situação e, em especial, a presença copiosa da chuva, que influenciou os movimentos da bola em cima do relvado.

Bernardo Silva, Vitinha, Diogo Jota e Ronaldo bem tentaram dar um outro “ar” mas o guardião da Chéquia não permitiu falhas, enquanto, no outro lado, Diogo Costa pouco trabalho teve.

Face ao “vazio” do primeiro tempo, o selecionador nacional teve que mexer na equipa, fazendo sair Rafael Leão, que não atinou (porque a defesa não o permitiu) com a função, porque quase sempre bloqueado, tendo chegado atrasado (26’) a uma assistência quase primorosa de Bruno Fernandes, em que o primeiro golo podia ter acontecido.

Considerando os prós e os contras, o resultado não sofre contestação, mas deixou pouca margem para uma segunda vez, porque há que decidir antes de outros se adiantarem, até na marcação dos golos, porquanto a Chéquia marcou dois e foi Portugal que ganhou o jogo. Objetivo cumprido e venha a Turquia para a segunda rodada.

De registar alguns dados suplementares, como o “recorde” obtido por Arda Güler (19 anos e 119 dias), por ter sido o jovem mais novo desde Cristiano Ronaldo em 2004.

A Turquia venceu pela primeira vez o jogo inicial do euro depois de ter perdido todos os cinco anteriores.

A estreante Geórgia é o 36º país da era moderna a participar numa fase final de um euro e o 36º a marcar.

A Turquia tornou-se na segunda seleção na história do euro a colocar dois jovens no onze inicial (Arda Güler e Kenan Yıldız, de 19 anos).

Hakan Çalhanoğlu é o segundo jogador da Turquia a participar em três finais do euro, depois de Rüştü Reçber.

De Cristiano Ronaldo continuar a bater recordes, depois de ter chegado ao sexto campeonato europeu (o que é único), de ter 130 golos marcados (o que é único) e ter chegado aos 208 jogos, mantendo ainda a chama para chegar aos 900 golos (faltam apenas cinco).

Vitinha foi premiado, pela UEFA, com o prémio de homem de jogo na vitória portuguesa, frente à Chéquia, por 2-1.

Vitinha foi considerado o melhor jogador do encontro, com o médio luso a somar 89 minutos na partida, com 112 toques no esférico, além de dois remates enquadrados. No capítulo dos passes, Vitinha acertou 86 em 91 tentados. O criativo português conseguiu ainda dois desarmes e venceu todos os duelos (seis).

“Acontece no futebol uma equipa lutar, tudo a correr bem para ela… A Rep. Checa tinha muitos problemas para controlar o jogo. Não tinham essa intenção, mas o nosso jogo puxou-os para defender baixo. Hoje não é o aspeto técnico e tático. Hoje é a resiliência que demonstrámos. É a primeira vez que damos a volta a um resultado. Hoje acreditámos, mostrámos uma personalidade incrível. O balneário mostrou valores que são essenciais para mostrar talento e ganhar jogos” – salientou Roberto Martinez no final da partida.

Acrescentou que “faz sentido a preparação que tivemos. Posso dizer que hoje os 26 jogadores – os 23 de campo – tinham opções de estar no onze. É porque a preparação foi muito boa. Jogadores merecem cá estar. Hoje foi uma vitória de grupo, de equipa”, referindo também que “hoje não é um jogo para avaliar do ponto vista tático, técnico e físico. Hoje ganhámos porque mostrámos resiliência, vontade e acreditar. Os valores de um balneário que quer dar tudo por Portugal”.

Completou afirmando que “o Nuno Mendes tem capacidade física para jogar numa linha de 3. É importante ter simetria no bloco médio. A Rep. Checa tem presença física. O importante não é o onze inicial, mas o que termina. Mostra a boa preparação que tivemos, assim como Francisco Conceição trabalha sempre com um o olho na baliza, vertical. Tem faro de golo. Foi o espalha brasas que precisávamos hoje”.

FPF-EuropeuAlemanha-Montenegro-18-06-2024

FPF

Saliente-se ainda a presença do Primeiro Ministro de Portugal, Luís Montenegro, que acabou por também “dar sorte” à equipa lusa, fechando um primeiro ciclo de grande felicidade.

O Turquia-Geórgia (grupo F) fechou a primeira ronda global, tendo os turcos vencido por 3-1, com Muldur (25’) a abrir o resultado para os turcos, enquanto Mikantadze empatou (32’), para Arda Gular facer o 2-1 (65’) e Keren Akturkoglu chegar ao 3-1 (90+7’).

O jogo foi equilibrado, com uma posse de bola de 52/48% para os turcos, que remataram mais (22-15) e que venceram por terem obtido mais golos.

Nesta quarta-feira, terão lugar os jogos Croácia-Albânia (B) pelas 14 horas, seguindo-se o Alemanha-Hungria (17h) e o Escócia-Suíça (20h), ambos do grupo A.

 

© 2024 Jogada do Mes. Todos os direitos reservados. XHTML / CSS Valid.