Sábado 26 de Setembro de 2020

Euro Crosse na Bela Vista começou na Câmara Municipal em Lisboa

IMG_4634O Salão Nobre da Câmara Municipal de Lisboa foi o palco, este sábado, do primeiro acto oficial de mais uma edição do Campeonato da Europa de Crosse, com a tradicional conferência de imprensa de apresentação dos atletas com mais probabilidades de chegar ao pódio, com base, em especial, na competição realizada em 2018.

Dulce Félix recordou que “lembro-me do tempo em que ganhei a minha primeira medalha individual e a equipe portuguesa conquistou o ouro. Lembro-me daquele momento e, após seis anos de não estar na equipa portuguesa neste campeonato, quero mostrar óptima forma amanhã. ”

Portugal acumulou na corrida sénior oito medalhas de ouro na corrida por equipas, o que muito significou para o atletismo português, facto que Dulce também recordou dizendo que “estou muito orgulhosa do nosso recorde”, referindo que “esta geração de atletas está mudando para a maratona, menos para mim, porque ainda é um grande prazer estar aqui com minhas duas colegas Carla Salomé Rocha e Susana Francisco. Esperamos fazer o melhor que pudermos com o apoio do público português. ”

Sobre as expectativas para a corrida de amanhã, Dulce salientou que “tenho quatro medalhas individuais neste campeonato e espero ganhar uma quinta medalha amanhã. Estou concentrada na maratona e quero trabalhar muito antes dos Jogos Olímpicos de Tóquio, mas quero provar que estou em condições de dizer adeus ao crosse com a presença no pódio”.

Para André Pereira, da principal equipa masculina, “competir no nosso país é sempre especial, principalmente porque o meu clube [Benfica] tem um estádio aqui perto. Não vou para as medalhas, mas lutaremos pelo nosso país e daremos um bom exemplo”.

Quanto ao percurso, André referiu que “há duas semanas, foi nesta pista que tivemos uma competição de preparação, pelo que sabemos que é muito difícil. Mas eu gosto especialmente desse tipo de percurso, em que o vencedor pode ser diferente este ano por causa do disso “.

IMG_4628Julien Wanders (Suíça) – que é o recordista europeu dos 10 km e da meia maratona – treina com os quenianos, no Quénia, pelo que se pode afirmar que tem um estatuto “diferente”, aguardando-se com expectativa o que poderá fazer, tendo referido que “gostaria de ganha a primeira medalha para o meu país, no sector masculino, considerando que só conquistámos medalhas (cinco) nas mulheres”.

Julien foi mais longe ao afirmar que “vou ganhar uma medalha!”

Anna Emilie Moller (Dinamarca), vai defender o título na corrida de Sub-23 e salientou que “não sei se isso traz pressão extra, porque eu sempre coloco muita pressão em mim e é o suficiente para voltar a correr para o pódio”

Sobre a importância de fazer uma temporada completa de crosse, a atleta dinamarquesa referiu que “os treinos e as competições no inverno são muito importantes para o verão. É importante ter esse treino básico para obter uma boa temporada nas pistas. Gosto de crosse e é bom ter competições no inverno. ”

Quanto ao percurso, disse que “gosto de percursos mais difíceis e com variações. Penso que este será agradável, mas diferente da maioria dos outros europeus. É montanhoso, desafiador e com voltas e mais voltas, por isso estou ansioso por isso. ”

Jorge Vieira, Presidente da Federação Portuguesa de Atletismo; Carlos Castro, Vereador do Desporto da Câmara Municipal e Svein Arne Hansen, presidente da Associação Europeia de Atletismo, deram as boas vindas e desejaram os melhores êxitos para todos os participantes, desta vez em número recorde nesta competição em Lisboa, onde estarão representados 40 países europeus.

O programa começa pelas 10 horas deste domingo, com a corrida para os sub20 masculinos, podendo as provas serem vistas na RTP2, na Eurosport e no site da Associação Europeia de Atletismo.

Salomé Rocha foi a melhor em 2018, com o 12º lugar, enquanto Rui Pinto obteve a 35ª posição (depois do 16º em 2017). Vamos ver o que acontecerá nesta domingo.

© 2020 Jogada do Mes. Todos os direitos reservados. XHTML / CSS Valid.