Terça-feira 02 de Junho de 2020

Federação de Atletismo promove conferências sobre meio-fundo via online

fpatletismo_logo_novoNa falta de competições em território nacional e internacional, a Federação Portuguesa de Atletismo tem pautado a sua actuação na área da formação, abrangendo os vários enquadramentos conforme o público-alvo.

Na continuidade das iniciativas que vêm decorrendo nessa área, cabe agora, por intermédio do sector de Meio Fundo do Departamento Técnico e Multidisciplinar, levar a efeito um conjunto de conferências com transmissões livres e sem custos, de acordo com a informação disponibilizada no site da referida Federação.

Numa primeira fase – segundo a informação veiculada no site da FPA – serão duas as acções: “Treinar para bater o Recorde do Mundo de Meia Maratona”, pelo espanhol Jeronimo Bravo, treinador de Zersenay Tadese; e “Escola Portuguesa de Meio Fundo: O fio condutor do sucesso”.

Para António Sousa, Técnico Nacional de Meio Fundo – que moderará o meeting –  “a oportunidade está directamente ligada às circunstâncias em que nos encontramos. Estava prevista a realização de uma Cimeira Nacional do Meio Fundo, mas que não se pode efectuar nos moldes tradicionais, mas que não queríamos deixar de sublinhar a sua importância, parecendo-nos ser esta opção uma boa alternativa, como forma de promover o atletismo e, em particular, o meio fundo”.

O programa é composto por duas acções, a primeira nesta sexta-feira (dia 22, pelas 21 horas) e subordinada ao tema “Treinar para bater o recorde do undo da meia maratona”, com apresentação do espanhol Jerónimo Bravo, Mestre em Educação Física e licenciado em Psicologia, registando como treinador participações em quatro Jogos Olímpicos, sete Campeonatos do Mundo de Pista ao Ar livre, 10 mundiais de meia maratona e 12 mundiais de corta-mato, tendo os atletas que orientou conquistado cerca de 25 medalhas, alguns que bateram dois recordes do Mundo, um deles conseguido na Meia Maratona de Lisboa, em 2010 (21 de Março), pelo eritreu Zersenay Tadese.

A segunda conferência está marcada para sábado (dia 23, também pelas 21 horas) – é em formato de mesa redonda, subordinada ao tema “Escola Portuguesa de Meio Fundo: O fio condutor do sucesso”, onde serão intervenientes os internacionais Carlos Lopes, Domingos Castro, Paulo Guerra, Rui Silva e André Pereira, com a moderação de António Sousa.

Estas conferências serão gratuitas, utilizando a plataforma Zoom e as redes sociais da FPA, cujos pormenores poderão ser obtidos no site da Federação Portuguesa de Atletismo.

A propósito dos participantes, recordamos os feitos alcançados pelos atletas que integram este painel de estrelas do atletismo nacional, europeu e mundial.

Carlos Lopes: campeão olímpico da maratona em Los Angeles’1984; medalha de prata nos 10000 m em Montreal’1976; campeão mundial de corta-mato em 1976, 1984 e 1985; medalha de prata em 1977 e 1983; ex-recordista mundial de maratona (2.07.12 em 1985) e ex-recordista europeu de 10000 m (27.24,39 em 1982); 19 títulos de campeão de Portugal; 34 internacionalizações.

Domingos Castro: vice-campeão mundial de 5.000 m em Roma’1987 (5º em Tóquio’1991 – 5.000 m; 6º em Atenas’1997 – 5.000 m; 11º em Gotemburgo’1995 – 10.000 m); 4º nos 5.000 m dos Jogos Olímpicos de Seoul’1988 (11º em Barcelona’1992 – 5.000 m); 5º no Europeu de Estugarda’1986 – 10.000 m (9º em Helsínquia’1994 – 5.000 m); vice-campeão europeu de corta-mato em 1994 (e campeão coletivo em 1994 e 1997); 7º no Mundial de corta-mato de 1990 (e 3º coletivo em 1993 e 2000); 42 internacionalizações; 13 vezes campeão de Portugal.

Paulo Guerra: medalha de bronze nos Mundiais de corta-mato (1999, e 6º em 1999 e 13º em 1994); campeão europeu de corta-mato em 1994, 1995, 1999 e 2000 (e 2º em 1996); 2º no Challenge da IAAF de corta-mato em 1995; 5º nos 10000 m do Europeu de Helsínquia’94; 8º nos 10000 m do Mundial de Gotemburgo’95; 30 internacionalizações; 7 títulos de campeão de Portugal.

Rui Silva: medalha de bronze nos Jogos Olímpicos de Atenas’2004; medalha de bronze no Campeonato do Mundo de Helsínquia’2005 (5º em 2003, 7º em 2001); vice-campeão europeu em Budapeste’1998 e terceiro em Munique’2002; campeão mundial de pista coberta em 2001 e vice-campeão (3000 m) em 2004 (5º em 1999); campeão europeu de pista coberta em 1998, 2002 e 2009; vice-campeão em 2000 (3000 m); 6º em 2011 (3000 m); segundo na Taça do Mundo de 1998; terceiro no Europeu de Corta-Mato de 2007; 35 internacionalizações; 23 títulos de campeão de Portugal.

André Pereira, campeão de Portugal de corta-mato curto em 2016 e de 3000 m obstáculos de 2016 a 2019; segundo nos 3000 m obstáculos do Europeu de Selecções (I Liga) em 2019; 12 títulos nacionais jovens (juvenis a sub’23), dos quais 5 de sub’23, em 2016; 12 internacionalizações.

© 2020 Jogada do Mes. Todos os direitos reservados. XHTML / CSS Valid.