Quarta-feira 01 de Outubro de 8369

Hoje e sempre contra a “compra de clubes, apostas e resultados combinados”, na abertura da Semana da Integridade da SIGA

Um despacho da Associação Internacional de Imprensa Desportiva (AIPS), emitida esta segunda-feira, dá conta da abertura da I Semana para a Integridade no Desporto, promovida, por meios telemáticos, pela SIGA “Sport International Global Alliance” e que decorre em Lausana (Suíça). Neste evento digital estão reunidos vários atores do mundo do desporto que abordarão várias vertentes sobre a temática vertida, no que é o primeiro evento a durar uma semana (até 11 deste mês de Setembro), com o objectivo de estimular debates profundos que visam a construção de um sistema mais forte que impeça e puna qualquer forma de crime no desporto.

Com base nos anos que passou trabalhando em procedimentos contra a máfia na Itália, Frattini acrescentou que a única maneira de ter sucesso é uma acção colectiva.

“Por isso existe o SIGA. O crime organizado costuma usar práticas como apostas e resultados combinados para gerar uma oportunidade de bilhões, como foi demonstrado pelos últimos relatórios publicados pela Europol”, adiantando que “estamos falando de uma actividade transnacional e de rápido crescimento. Por esse motivo, não podemos considerar essas maquinações como formas menores de crime organizado.

“Na Itália, os gangues da mafia estão interessadas em comprar clubes esportivos de nível inferior devido à crise económica. É assim que elas se infiltram no desporto”, afirmando também que “com isso, o desporto se torna a fachada pela qual fingem se apresentar de forma positiva, tentando limpar seus crimes e negócios ilegais.”

SIGA-ConferênciaSetembro-07-09-2020Franco Frattini, magistrado italiano e antigo ministro dos Negócios Estrangeiros italiano com uma vasta experiência na luta contra o crime organizado, deu as boas-vindas aos participantes no início do dia inaugural., tendo referido que “é a primeira vez que a SIGA organiza um evento desta magnitude para falar de integridade desportiva. Durante uma semana inteira, vamos promover os nossos valores fundamentais, promover a legalidade e impulsionar medidas severas, ao mesmo tempo que punimos crimes e violações que ocorram no quadro desportivo”.

Para o efeito, salientou, “convidámos atletas, peritos, representantes de instituições e organizações desportivas, entidades privadas, bem como autoridades policiais, para a construção de uma rede eficiente e sólida que considere a luta contra o crime em todas as suas formas e do maior número possível de perspectivas”.

O programa, rico de experts, foi preparado para abrir o evento, como a lenda olímpica do calibre do bicampeão olímpico Edwin Moses, juntamente com a bicampeã da WNBA Renée Montgomery. Executivos da NCAA, Da Liga Nacional de Lacrosse, bem como do Co-presidente do Grupo de Trabalho Anticorrupção do G20 também se juntaram ao primeiro dia do evento, com a AIPS representada pelo seu Presidente, Gianni Merlo.

“Vamos cooperar em novas ideias e ouvir propostas inovadoras, sem nos esquecermos de implementar o que já foi feito com sucesso”, disse ainda Frattini., que adiantou também que “as apresentações vão variar entre corrupção, fluxos de dinheiro ilegais, infiltrações de organização criminosa no desporto e explorações dos jovens atletas oriundos dos países mais pobres do mundo, que são vítimas dos que pertencem à rede criminosa. Além disso, o racismo e o sexismo serão dois temas essenciais, porque a subestimação de tais perigos sociais iria menosprezar a pureza do mundo do desporto”.

Frattini salientou também que “estaremos promovendo uma melhor cooperação entre os sectores público privado e a sociedade civil. O SIGA é uma excelente expressão da sociedade civil, cujos esforços se orientam para uma ampla mobilização de todos os seus atores”, referindo que “este evento atesta que essa mobilização foi alcançada e é, em si mesmo, um grande sucesso. Ninguém está imune ao risco de ilegalidade e crime no mundo do desporto. A ilegalidade transforma os valores olímpicos do desporto em negócios e manipulação pouco claros, destruindo a pureza onde estão nossas raízes comuns. ”

Para lutar contra este “mundo desportivo selvagem”, Frattini definiu quatro pontos-chave essenciais que compõem a filosofia da Semana da Integridade da SIGA:

1. EDUCAÇÃO – É a primeira e indispensável chave para o sucesso. A SIGA está fazendo seu maior investimento em benefício das gerações mais jovens de atletas. Através do estabelecimento da SIGA Youth Development in Sport, uma das áreas estratégicas da SIGA, com a Aliança a trabalhar para garantir os mais altos padrões de respeito, dignidade e integridade para os jovens atletas.

2. AUMENTAR A SENSIBILIZAÇÃO – Ao organizar conferências e actividades, a SIGA está empenhada em divulgar a ideia de um desporto limpo para um número cada vez maior de participantes. Na ausência dela, o desporto nada mais é do que uma mera forma de investimento.

3. INTERCÂMBIO INTERNACIONAL DE INFORMAÇÕES – Finalidade de todo o evento e objectivo principal para o futuro próximo, a troca de informações entre entidades policiais, estados, organizações desportivas e muitos outros assuntos é uma etapa essencial no combate ao crime. Um sistema mais amplo e melhor conectado afasta infiltrações criminosas em suas áreas cinzentas.

4. FORTE PREVENÇÃO – Garantir uma acção mais forte para prevenir que a injustiça seja um dever imperativo, sendo muito importante que tal preocupação ocorra em paralelo com punições imediatas para quem tenta poluir os valores genuínos do desporto quebrando as regras.

Recorde-se que o Director-Geral do Comité Olímpico de Portugal, João Paulo Almeida, é o dinamizador português na SIGA, contando-se também, entre os elementos nacionais, o Director Nacional da Polícia Judiciária e outras personalidades com larga experiência na matéria.

 

 

 

 

© 8370 Jogada do Mes. Todos os direitos reservados. XHTML / CSS Valid.