Segunda-feira 26 de Outubro de 2020

Presidente da República recebeu Delmino Pereira e Amaro Antunes

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, recebeu, este sábado, na Casa Allen (Porto), o presidente Federação Portuguesa de Ciclismo, Delmino Pereira, e o vencedor da Volta a Portugal Edição Especial Jogos Santa Casa, Amaro Antunes.

DR

DR

“Quando o presidente Delmino Pereira me apareceu em Belém, numa das piores fases da pandemia, a dizer ‘Presidente, eu vou organizar a Volta a Portugal em Bicicleta’, eu fiquei a olhar para ele e disse de mim para mim: ‘mas vai fazer como?’”, contou Marcelo Rebelo de Sousa, segundo a notícia veiculada pelo site da Federação.

“Esta Volta é uma prova, por um lado, da visão do presidente Delmino Pereira, e, por outro, da força do ciclismo em Portugal. O ciclismo é um desporto popular. Não há criança que não sonhe ter uma bicicleta e que não ande de bicicleta, sua ou emprestada. Geração após geração. Hoje nas grandes metrópoles regressa-se à bicicleta”, assinalou, como enquadramento, Marcelo Rebelo de Sousa.

O Presidente da República apresentou a realização da Volta a Portugal como “um sinal de que o país estava vivo”, como uma metáfora e uma lição, com vários capítulos, para enfrentar o quotidiano desafiante destes dias de pandemia.

“Aqui há várias lições. Ter-se feito a Volta é um sinal de que Portugal, no meio da pandemia, estava vivo, queria viver, queria olhar para o futuro, queria começar a construir o futuro e queria fazê-lo com um desporto popular. Segundo, a lição de que os portugueses devem fazer tudo para serem os melhores. Podemos não conseguir, mas temos de apontar para essa meta. Terceiro, ser o melhor é ser o mais consistente, não é ser muito bom numa etapa e muito mau noutra. Quarto, curiosamente, os primeiros classificados eram da mesma equipa. Mesmo num desporto individual como o ciclismo, há um lado de equipa. Cada um de nós deve fazer o melhor que pode, a pensar na equipa toda, que é Portugal”, notou Marcelo Rebelo de Sousa.

Amaro Antunes mereceu uma palavra especial do Presidente da República, também em tom de exemplo a seguir por todos. “Esta vitória foi também uma vitória contra a pandemia, contra o medo, foi uma vitória também contra a adversidade, contra a crise. Ao vencer a Volta, o Amaro Antunes estava, em nome de todos nós, a vencer esses desafios. Por isso, vale a pena tê-lo aqui para o felicitar, porque esta vai ser a vitória mais saborosa da vida dele”, concluiu.

Delmino Pereira recordou a ajuda crucial do Presidente da República no momento em que decidiu organizar a corrida em 2020. “Estamos aqui para agradecer o apoio que nos deu na altura em que avançámos com o desafio de organizar a edição de 2020 da Volta a Portugal. Foi o momento decisivo, porque tivemos o apoio, o estímulo e a energia positiva do Sr. Presidente da República, que nos levou a partir para esta luta imensa. Foi também decisiva a palavra que deu aos municípios para receberem a Volta a Portugal. A partir daí tudo se desenrolou com sucesso”, assinalou o dirigente federativo.

O presidente da Federação afirmou que a Volta a Portugal ”foi uma onda de alegria que se ofereceu a todos os portugueses. Podemos dizer hoje que foi uma Volta a Portugal feliz. Foi uma demonstração de que é possível acontecerem os eventos grandes e históricos nestes tempos difíceis, desde que tenhamos disciplina, rigor, e tenhamos a paixão de fazer sempre o bem”.

Amaro Antunes agradeceu o apoio do chefe de Estado e o trabalho da Federação na organização da Volta a Portugal Edição Especial Jogos Santa Casa.

O vencedor da corrida confessou ter concretizado um sonho, continuando “muito feliz e ainda um pouco emocionado, mas acima de tudo realizado”, tendo ofertado uma Camisola Amarela Jogos Santa Casa ao Presidente da República.

 

© 2020 Jogada do Mes. Todos os direitos reservados. XHTML / CSS Valid.