Segunda-feira 26 de Outubro de 2020

Portugal venceu (3-0) a Suécia, com “bis” de Diogo Jota, para a Liga das Nações

Num jogo com características diferentes das que se verificaram com a França (domingo passado), a selecção das Quinas mudou a “agulha” e goleou os sempre difíceis suecos por 3-0, mantendo a liderança na Divisão A da Liga das Nações, ainda que a par da França, que derrotou a Croácia (2-1).

Portugal começou a jogar pelo ataque e (4’) o golo esteve à vista depois de Cancelo levantar a bola para William, colocado ao segundo poste, com o médio luso a cabecear para a baliza mas com a bola a tomara direcção do ferro, o que foi o primeiro sinal de que a equipa das Quinas estava em campo para “despachar” o “bacalhau” sueco, bastas vezes algo indigesto para os portugueses.

Diogo Pinto / FPF

Diogo Pinto / FPF

Com um jogo mais aberto, com a bola a rolar de jogador em jogador com maior rapidez do que é tradicional – quiçá por causa da “ausência” do capitão Cristiano Ronaldo – o que criou alguma vantagem à turma lusa nos primeiros vinte minutos do encontro.

Tanto assim foi que (21’), Portugal abriu o activo com um golo de Bernardo Silva, depois de um lançamento de Bruno Fernandes, que endossou a Diogo Costa, que se isolou pela esquerda, contornou um defesa e entrou no corredor central e endossou a bola a Bernardo Silva, no outro lado da grande área, onde o avançado português surgiu sem ninguém a estorvar e aproveitou para fazer o 1-0 para Portugal.

Os suecos davam pouco espaço de manobra e “obrigavam” Portugal a ter que girar bem para avançarem, se bem que os lusitanos começaram a oscilar face à pressão dos adversários, tendo (35’) atirado uma bola ao poste, ainda que pela lateral exterior, que nem “medo” meteu.

No entanto, a defesa portuguesa teve alguns problemas para segurar os suecos nos últimos dez minutos do primeiro tempo, mas conseguiu chegar ao segundo golo num rápido contra-ataque.

Cancelo fez um lançamento longo para isolar Diogo Jota (que pareceu fora-de-jogo por poucos centímetros), tendo o avançado luso dominado a bola e rodopiou para fazer o 2-0 sem grandes dificuldades.

No último minuto da compensação (45+2’), a Suécia perdeu uma grande oportunidade para reduzir, com Berg a surgir isolado frente a Rui Patrício mas a rematar por cima da barra.

Neste primeiro tempo, os suecos tiveram maior posse de bola (52/48%) mas Portugal foi mais objectivo e marcou dois golos.

No segundo tempo, os suecos entraram dispostas a tentar modificar as coisas e (48’) Rui Patrício teve que voar para evitar o golo dos visitantes.

Situação que voltou a verificar-se (55’), quando o guardião nacional a voltar a voar e desviar a bola para canto, do qual nada resultou.

Três minutos depois, Bernardo Silva voltou a isolar-se no ataque mas rematou ao lado do poste, ainda que a bola tivesse sido desviada por um defesa, o que originou um canto, sem resultados.

Cinco minutos depois, João Félix surgiu bem colocado para rematar, isolado frente ao guardião Olsen, mas rematou por cima da barra.

Num espaço de cinco minutos Fernando Santos fez três substituições e Portugal chegou ao 3-0, com um novo golo marcado por Diogo Jota, depois de ter recebido um passe de William, torneou a defesa deslocando-se para o centro da balize, de um disparou um forte remate que levou o selo de golo. Sem espinhas!

Feito o 3-0, nem por isso o jogo abrandou, notando-se no entanto uma certa queda na equipa nacional, o que levou a mais três substituições até aos 88’, sem que o resultado tivesse sido alterado, ainda que Patrício, uma vez mais, negou o golo à Suécia, depois de (83’) obter uma grande defesa, também em voo rasante, para ir buscar a bola que seguia para o poste mais longe, conseguindo agarrá-la.

Apesar do desnível do resultado, a Suécia teve maior posse de bola (52/48%) em termos globais, enquanto nos remates Portugal esteve muito à frente, fazendo 15, dos quais seis para a baliza, do que redundou os três obtidos, contra os 8 feitos pelos suecos (três para a baliza).

Sob a direcção do sérvio Srdjan Jovanovic (que apitou Portugal pela segunda vez), as equipas alinharam:

Portugal – Rui Patrício; Cancelo, Pepe, Rúben Dias e Raphael Guerreiro; William (João Moutinho, 80’), Danilo e Bruno Fernandes (Renato Sanches, 88’); Bernardo Silva (André Silva, 75’), João Félix (Podence, 75’) e Diogo Jota (Diogo Jota, 88’).

Suécia – Olsen; Lustig (Johansson, 48’), Jansson, Lindelof e Bengtsson; Kulusevski (Larsson, 88’), K. Olsson e Ekdal; Claesson, Quaison (Isak, 62’) e Berg (M. Olsson, 88’).

Portugal e França lideram, ambos com 10 pontos (Portugal tem melhor goal-average), seguidos da Croácia (3) e da Suécia, só com derrotas, uma e outra já sem hipóteses de apuramento para a fase seguinte.

Os próximos encontros jogam-se a 14 de Novembro, com Portugal a receber a França para a decisão quase final do grupo (ainda faltará jogar com a Croácia, que também é difícil e que joga no seu país), enquanto a Suécia defrontará a Croácia.

© 2020 Jogada do Mes. Todos os direitos reservados. XHTML / CSS Valid.