Terça-feira 24 de Novembro de 2020

Panathlon debateu o desporto português e a União Europeia com “ex” e actual Secretário de Estado do Desporto

O Panathlon Clube de Lisboa promoveu, no âmbito dos seus encontros mensais, uma sessão que ficará na história do desporto nacional pois contou com a presença dos Secretários de Estado responsáveis pela pasta do Desporto desde 12 de Março de 2005 até à actualidade.

A Sala dos Troféus do Ginásio Clube Português, com estúdio montado pela AndebolTV, o Panathlon Clube de Lisboa recebeu, para além do Secretário de Estado da Juventude e Desporto, João Paulo Rebelo (XXI governo); Laurentino Dias, SEDJ dos XVII e XVIII Governos; Alexandre Mestre SEDJ do XIX Governo, e Emídio Guerreiro SEDJ do XIX e XX Governos.

DR

DR

A sessão foi conduzida pelo Presidente do Panathlon Clube de Lisboa, Mário Almeida e moderada em conjunto com o Vice-Presidente, Carlos Ribeiro.

Volvidos uma década, desde a presidência Portuguesa marcada pelo Tratado de Lisboa, que deixou fundadas expectativas ao desporto nacional de sinergias e alavancas ao seu desenvolvimento por força de um reconhecimento expressa pela União Europeia do papel do desporto na sociedade moderna a sessão, “O desporto português e a união europeia”, teve como pano de fundo da Presidência Portuguesa 2021.

Foi pedido aos intervenientes que, por ordem cronológica do seu período de governação, apresentassem os marcos chave de posicionamento do Desporto na UE, o grau de correspondência da política europeia para o Desporto com as necessidade de desenvolvimento e afirmação do desporto português, o que foi feito, o que ficou por fazer e o que perspectivam para o futuro.

Seguiram-se um conjunto de questões sobre o edifício legislativo, os planos estruturais de financiamento e programas de desenvolvimento, passando pelo Erasmus+ e pelas UAARE onde ficou claro, por um lado, o seu profundo conhecimento destes dossiers, por outro, a grande diversidade de experiências e pontes de contacto com a União Europeia e, por fim, o reconhecimento comum da necessidade de transversalmente à governação haver uma visão sustentável para o desporto e a sociedade.

Panathlon-Sec-EstadoDebate-08-10-2020 (1)Nesta passagem, Laurentino Dias salientou que um dos aspectos principais da sua acção, em especial no segundo mandato, com foi o da criação dos Centros de Alto Rendimento, aproveitando os fundos europeus disponíveis na altura, que hoje em dia servem, do Minho ao Algarve, não só a elite dos desportistas portugueses como também dos mais categorizados (e medalhados) atletas de vários países, no que é uma mais-valia para o país pelo cada vez maior reforço internacional no seu aproveitamento.

Alexandre Mestre, que deu seguimento a esse mesmo projecto e que lançou o Plano Nacional da Ética no Desporto, documento que surgiu para intervir junto de toda a comunidade desportiva sobre a necessidade de ter a ética bem presente, num movimento que continua, ainda hoje, a ser implementado, considerando a sua importância na intervenção junto da comunidade em geral.

Por seu lado, Emídio Guerreiro cimentou o projecto dos CAR, reactivando a Fundação do Desporto para ser o “chapéu” de toda a rede destas infra-estruturas, ao mesmo tempo que o Erasmus+ também passou a ser uma excelente alavanca para a formação de alto nível, tendo-se referido ao Livro Branco do Desporto, aprovado na reunião a UE em Lisboa, salientando ainda a criação do Plano Nacional do Desporto para Todos, ao mesmo tempo que o INE criou a Conta Satélite do Desporto Português.

Documento que, segundo João Paulo Rebelo, verá a luz do dia em 2021, adiantando que avançou com a Carreira Dual para os desportistas poderem, enquanto atletas de alto rendimento, desenvolverem também uma carreira académica, com bons resultados já palpáveis, bem como a criação do PRIDE-Plano de Recuperação de Infra-estruturas Desportivas e as Unidades de Apoio ao Alto Rendimento na Escola (UAARE), projecto que tem aumentado ano após ano com mais estudantes a entrar na carreira desportiva.

Também se falou do impacto do desporto na actividade económica no país, ainda que não tenha sido muito reconhecido, mormente face ao menor apoio em situação de pandemia, mas de grande valia para o país.

 

Fechando a sessão, João Paulo Rebelo, em visão perspectiva da Presidência de 2021, ressaltou o profundo impacto que a pandemia causará nos contornos muito particulares desta presidência quer quanto à sua forma orgânica e processual, muito marcado pelo tele-contacto, quer quanto aos domínio e supremacia dos temas com certeza relacionados com a COVID-19.

Mário Almeida reforçou o carácter excepcional e extraordinário da oportunidade do encontro e troca de considerações públicas entre os governantes convidados, que aceitaram prontamente participar, numa reunião nunca antes vista a nível do desporto português.

A sessão foi transmitida em “live streaming” e acompanhada por cerca de uma centena de assistentes de todos os quadrantes e sectores e está disponível em https://youtu.be/G4Pql50l26g

© 2020 Jogada do Mes. Todos os direitos reservados. XHTML / CSS Valid.