Sábado 16 de Janeiro de 2021

Portugal perdeu na Islândia e adiou confirmação da presença no Euro’2022 de Andebol

A Selecção Nacional sofreu a primeira derrota no Grupo 4, na Islândia, e atrasou a confirmação da presença na competição europeia do próximo ano.

Portugal entrou a perder mas rapidamente conseguiu reverter o resultado, com Alfredo Quintana em destaque nos primeiros minutos da partida, que decorreu na cidade islandesa de Hafnarfjordur.

Andebol-Euro2020-10-01-2021Num jogo em que Paulo Pereira aproveitou para fazer algumas alterações, face ao último jogo, a equipa nacional continuou a mostrar superioridade e era notório o índice de confiança no jogo português, levando o seleccionador contrário a pedir time-out aos 12 minutos, depois de sofrer um parcial de 0-3 (3-6). Aos 24 minutos, o resultado assinalava 6-11, na primeira vantagem de cinco golos do encontro, justificado pela eficácia em todos os capítulos do jogo português, desde logo as combinações com o pivô e as sucessivas intervenções do guarda-redes Alfredo Quintana. No entanto, nos últimos minutos uma série de erros ofensivos de Portugal, permitiram que a Islândia concretizasse um parcial de 5-0, recuperando da desvantagem de 7-12 e chegando ao empate a 12 golos, quando faltavam apenas um minuto para o intervalo. No pior período do encontro para a equipa nacional, em termos desportivos e anímicos, Daymaro Salina apontou o último golo da primeira parte (13-12) fazendo com que Portugal saísse para o descanso a vencer, apesar de não ser pela vantagem que outrora havia conquistado.

No reatar da partida, Portugal falhou três ataques consecutivos e permitiu aos islandeses chegar, primeiro, ao empate e, depois, à liderança do marcador, com dois golos à maior (15-13), em pouco mais de três minutos. Os índices de eficácia de Portugal caíram a pique até à metade do segundo tempo, altura em que a Islândia apontou o 11º golo nos segundos 30 minutos, e em que Portugal tinha marcado apenas quatro golos. Um dos principais responsáveis pela superioridade nórdica no segundo período do jogo foi o guarda-redes Ágúst Elí Björgvinsson, que protagonizou defesas sucessivas, reforçando a quebra motivacional dos portugueses, que a dez minutos do apito final perdia por 25-18.

Aos 55 minutos, a Islândia tinha já 10 golos de vantagem e acabou mesmo por fechar as contas em 32-23, somando a segunda vitória na prova, com menos um jogo do que Portugal, que permanece no topo do Grupo 4, com seis pontos, contra os 4 dos islandeses, enquanto Israel e Lituânia tem zero pontos.

Para Paulo Pereira, seleccionador nacional “fomos seduzidos pelo jogo que fizermos lá, quer porque pensámos que chegávamos aqui e conseguíamos uma vitória por qualquer margem, agravado pelo início excepcional que tivemos no encontro. Temos que começar a gerir as emoções da melhor forma mas continuo a acreditar nesta equipa e temos que continuar a trabalhar”.

Rui Silva, capitão da equipa, assumiu os erros de Portugal no encontro, afirmando que “os primeiros 20 minutos demonstram aquilo que é Portugal e depois acho que acabámos por cometer muitos erros, que não são habituais. Agora queremos levantar a cabeça porque temos um jogo no Mundial, contra a Islândia e isso é o que mais interessa”.

© 2021 Jogada do Mes. Todos os direitos reservados. XHTML / CSS Valid.