Sexta-feira 06 de Agosto de 2021

Portugueses afundam no Tour de France

© A.S.O./Pauline Ballet

© A.S.O./Pauline Ballet

Nesta sexta-feira, Rubem Guerreiro (em especial) e Rui Costa, afundaram-se no “dilúvio” da 8ª etapa do Tour de França, quando se entrou na montanha a sério, e correram para o lado contrário da corrida, porquanto desceram significativamente na classificação geral.

Um dia após a Eslovénia assumir a presidência do conselho da União Europeia, o esloveno Matej Mohoric conquistou a primeira vitória numa etapa do Tour de France em Le Creusot, enquanto Tadej Pogacar salvou o dia depois de ser colocado em dificuldades no início da corrida por um grande grupo separatista composto por Mathieu van der Poel que defendeu sua camisa amarela com um coração corajoso.

177 ciclistas iniciaram a etapa em Vierzon, com Victor Campenaerts (Qhubeka-Nexthash) a ser o primeiro na ofensiva logo após a partida. A primeira meia hora foi disputada a 55 km/h, apesar de um vento ligeiramente contrário enquanto os ataques continuavam. Wout van Aert (Jumbo-Visma) foi o mais ativo. Mathieu van der Poel (Alpecin-Fenix) reagiu à insinuação de que não deixaria seu arqui-rival ir embora.

A luta levou à formação de um grupo na frente, com 29 homens, no km 40: van Aert, Mike Teunissen (Jumbo-Visma), Dylan van Baarle (Ineos Grenadiers), Vincenzo Nibali, Toms Skujins, Jasper Stuyven (Trek-Segafredo), Kasper Asgreen, Mark Cavendish (Deceuninck-Quick Step), Imanol Erviti, Ivan Garcia Cortina (Movistar), Patrick Konrad (Bora-Hansgrohe), Christophe Laporte (Cofidis), van der Poel, Xandro Meurissereiro (Alpecin-Fenix), Ruben Guerreiro,

Mohoric e Van Moer com 88 km, para que a UAE Team Emirates estava pronto para assumir a liderança do pelotão.

Apenas a TotalEnergies entre as outras quatro equipes que não estavam representadas na separação colocaram um piloto (Jérémy Cabot) na corrida, mas o déficit continuou crescendo lenta mas seguramente. Mohoric e Van Moer aceleraram na primeira subida do dia, a quota de Château-Chinon (km 161,5) onde o pelotão foi cronometrado com um déficit de 6’50 ”.

A dupla avançou e foi reforçada por Stuyven e Campenaerts com 46km pela frente. O grupo da camisa amarela ficou reduzido a dez ciclistas na quota de la Libération, enquanto Campenaerts deixou Mohoric, Van Moer e Stuyven irem. Bonnamour rodou no meio, mas foi trazido de volta 23 km antes do final.

Mohoric venceu, Pogacar salva seu dia, Roglic perde Mohoric, que partiu sozinho no caminho para Signal d’Uchon 19 km antes do final.

Primoz Roglic sofreu a queda no início da etapa e perdeu mais tempo (3’30”) nesta exigente etapa que irá afectar os ciclistas na véspera do fim-de-semana alpino.

O triunfo do esloveno Matej Mohoric (Barhain) foi obtido após 5h28m20s, à frente do belga Jasper Stuyven (Trek-Segafredi), a 1m20s; do suíço Magnus Cort Nielsen (EF Education), a 1m40s, o mesmo sucedendo ao holandês Mathieu Van Der Poel (Alpecin-Finix) e ao suíço Kasper Asgreen (Deceuninck-Quick-Step), também a 1m40s.

Ruben Guerreiro (EF Education) chegou na 121ª posição, a 18m37s, o mesmo sucedendo a Rui Costa (UAE), que ficou no 150º lugar, com a mesma diferença.

Na classificação geral, Van der Poel (Alpecin) continua a comandar, com 25h39m17s, seguido de Wout Van Aert (Jumbo), a 30 s; de Kasper Asgreen (Deceuninck) a 1m49s; de Matej Mohoric (Barhrain), a 3m01s e de Tadej Pogacar (EUA), a 3m43s.

Ruben Guerreiro está agora no 69º lugar, a 21m44s do primeiro, enquanto Rui Costa está na 106ª posição.

Nos pontos, M. Cavendish (Deceuninck) continua a comandar, enquanto Matej Mohoric (Bahrein) passou a liderar a Montanha. Tadej Pogacar (EUA) é o melhor na Juventude e a Jumbo-Visma comanda a classificação geral.

Este sábado corre-se a 8ª etapa, entre Oyonnax e Le Grand-Bornand, numa distância de 150,8, numa corrida cheia de altos e baixos nos últimos 50 km, com montanhas a começar nos 960 metros, seguindo-se 1.297 e 1.618 metros quase a terminar.

Mais uma boa “sova” para este dia.

© 2021 Jogada do Mes. Todos os direitos reservados. XHTML / CSS Valid.