Quarta-feira 06 de Julho de 2022

Susana Veiga conquistou medalha de prata no Mundial de Natação Adaptada, com Portugal a somar mais dois bronzes

Natação-MundialAdaptado--18-06-2022

Federação Portuguesa Natação

Susana Veiga encerrou com chave de prata a participação portuguesa no Mundial de natação adaptada que decorreu no Funchal, ao terminar em segundo lugar a prova dos 50 metros livres (S8) com 28,90 segundos.

A propósito deste feito, a nadadora portuguesa Susan Veiga referiu que “deixar os 50 livres para o último dia é algo que me deixa com uma ansiedade muito grande, mas consegui dar a volta. Esta é a prova que genuinamente gosto de nadar. Dedico esta medalha a toda a gente que me apoiou. Gosto muito da prata”.

O ouro foi para a brasileira Marian Ribeiro (28,18) e o bronze para a espanhola Sarai Gascon (29,19).  No Funchal, três anos depois, a nadadora do Colégio Vasco da Gama repete a prata conquistada no Mundial de Londres 2019.

A Itália dominou no quadro das medalhas à frente dos Estados Unidos e do Brasil, Grã-Bretanha e Ucrânia.

Ao longo dos sete dias de provas, Portugal somou três medalhas no Funchal. Para além da prata de Susana Veiga, Diogo Cancela conquistou o bronze nos 200 estilos (S8) e Marco Meneses também bronze, nos 100 costas (S11).  A seleção de Portugal composta por 10 nadadores terminou o Mundial com 10 recordes nacionais e 10 presenças em finais.

Nas eliminatórias, Susana Veiga garantiu a presença na final dos 50 livres (S8) ao vencer a primeira série com 29,58 segundos. O seu recorde nacional está fixado em 28,85.

Na Madeira, terminou ainda em 5ª classificada nos 100 livres (S9) e em 6.º lugar na final das 400 livres ambas com recorde de Portugal.

No sétimo e último dia de competições destaque ainda para Marco Meneses concluiu a sua participação com um 4.º lugar na final dos 400 livres (S11) e mais um recorde nacional (4.44,29 minutos).

De manhã o nadador do Crasto havia registado o apuramento com um máximo de Portugal fixado em 4.47,74, agora na final melhorou em mais de três segundos.

Meneses foi apenas superado por Rogier Dorsman (países baixos), 4.31,63, o ucraniano Mykhailo (4.37,38) e pelo japonês Uchu Tomita (4.40,65).

Recorde-se que ontem o português conquistou a primeira medalha para Portugal, o bronze nas 100 costas (S11), com um recorde nacional. Antes já havia melhorado os recordes nacionais nos 100 livres (1.01,50) e nos 50 livres (27,86).

Ainda hoje, Tomás Cordeiro foi 6.º classificado na final direta dos 100 costas (S10). O nadador do Colégio Efanor terminou com 1.07,36 que é o seu máximo pessoal. A vitória foi para o italiano Stefano Raimondi (59,68).

José Machado, director desportivo da Federação Portuguesa de Natação, referiu que “o balanço é extremamente positivo com os objetivos propostos a serem atingidos. É importante realçar que até quinta-feira também o teriam sido, pois nove dos dez portugueses presentes participaram em finais, que é o indispensável para se poder lutar pelas melhores classificações. Depois chegaram os lugares de pódio que muito nos orgulham e que em conjunto com os dez recordes nacionais são o maior destaque da nossa participação. Parabéns aos atletas, aos seus treinadores e aqueles que diretamente contribuíram para esta prestação”.

Entretanto, o hino nacional italiano tocou pela 27ª vez, depois de os Azzurri conquistarem a última medalha de ouro do Madeira 2022, este sábado, para liderar a classificação no Campeonato Mundial de natação adaptada pela segunda vez.

Foi a sexta medalha de ouro para Simone Barlaam e Stefano Raimondi, que se juntaram a Giulia Terzi e Xenia Palazzo para terminar em primeiro na estafeta mista 4x100m livres com um recorde mundial (4.02,53).

A corrida ao ouro no sábado, pelos EUA, com cinco vitórias, levou os norte americanos a subirem para o segundo lugar. A equipa foi liderada por Leanne Smith que conquistou dois ouros no último dia, somando sete triunfos em sete corridas – mais do que qualquer outro atleta na Madeira 2022.

O Brasil terminou entre os três primeiros com 19 medalhas de ouro após duas vitórias no sábado. Gabriel Bandeira venceu os 100 mariposa S14 e Mariana Ribeiro os 50m livre S9.

Natação-MundialAdaptado-18-06-2022

Federação Portuguesa Natação

Portugal conquistou a prata nessa mesma prova com Susana Veiga para dar a Portugal a sua melhor classificação de sempre nos Campeonatos do Mundo (três medalhas, uma prata, duas bronze).

A França guardou o melhor para o final, conquistando o primeiro ouro na Madeira 2022 e depois conquistando o segundo com Alex Portal (200 estilos SM13) e Laurent Chardard (50m mariposa masculino S6), respetivamente.

A brasileira Maria Carolina Santiago conquistou a sétima medalha, sexta de ouro, enquanto o italiano Simone Barlaam somou o quarto ouro em quatro provas, quebrando o recorde mundial nos 100 costas S9 na sexta-feira (17 de junho).

Barlaam terminou em 59,72 segundos, tornando-se o primeiro atleta de sua classe a nadar a prova abaixo de um minuto.

Mundial de Natação Pura

José Paulo Lopes terminou, este sábado, no 8º lugar na 3ª série dos 400 livres, com 3.56,59 minutos, resultado que lhe deu o 30º tempo entre os 43 nadadores inscritos na prova do Mundial que decorre até ao dia 25 deste mês de junho em Budapeste (Hungria).

O recorde nacional que pertence ao olímpico português está fixado em 3.50,56 desde 6 de junho de 2021 em Barcelona.

A qualificação para a final encerrou nos 3.46,47. O bracarense volta à piscina para nadar os 800 livres na segunda-feira, dia 20 de junho.

Portugal está ainda representado em Bucareste por Diana Durães que, este domingo (dia 19), compete nos 1.500 livres (9h10).

© 2022 Jogada do Mes. Todos os direitos reservados. XHTML / CSS Valid.