Segunda-feira 22 de Julho de 2024

Uruguaia Agustina Reyes venceu ao sprint nas Caldas da Rainha

Ciclismo-VoltaPortugalFeminino-15-09-2023

FPCiclismo

Agustina Reyes deu, esta sexta-feira, a segunda vitória à equipa portuguesa Matos Mobility/Optiria na Volta a Portugal Feminina Cofidis.

Venceu a segunda tirada, nas Caldas da Rainha, batendo ao sprint a russa Valeria Valgonen (Massi-Tactic), que manteve a Camisola Amarela Jogos Santa Casa.

Os 100,4 km que ligaram o Museu de Ciclismo Joaquim Agostinho (Torres Vedras) ao Museu de Ciclismo (Caldas da Rainha) foram repletos de motivos de interesse, ficando patente a dificuldade crescente da corrida no dia a dia.

As duas contagens de montanha do dia provocaram uma seleção mais fina de valores, com a segunda das subidas a fazer alguma mossa. No Casal da Marinha, a 29,1 quilómetros da chegada, um grupo de doze corredoras, entre as quais algumas das candidatas ao triunfo final na Volta, deixaram o pelotão para trás.

O grupo chegou a dispor de 40 segundos de vantagem, mas a perseguição, tendo em vista uma chegada ao sprint, deu frutos. E foi mesmo em pelotão – ainda que reduzido – que se disputou a vitória.

Apesar de ter sofrido uma queda durante a viagem, Valeria Valgonen entrou na frente na luta pelo triunfo na etapa, mas não teve capacidade para superar a melhor ponta final da uruguaia Agustina Reyes. A russa ficou com o segundo posto e a polaca Alicja Ulatowska (Soltec Team Costa Cálida) fechou o pódio da jornada, diante de Ana Caramelo, colega de equipa da vencedora, que foi quarta e melhor portuguesa nas Caldas.

“Foi um sprint muito duro. Sabia que devia entrar na reta da meta na frente, porque os paralelos são muito complicados. Uma colega de equipa colocou-me muito bem e pude entrar nas primeiras posições para disputar a vitória, numa etapa muito dura, porque se acelerou muito na subida. Felizmente estive à altura”, explicou a vencedora no final da corrida.

A jornada foi ainda mais complicada para a dona da camisola amarela, vítima de queda durante o percurso. “Foi muito difícil, porque fiquei com o corpo todo dorido. Apesar disso consegui discutir o sprint e consegui mais alguns segundos de bonificação”, disse Valeria Valgonen, antes de subir ao pódio.

A classificação geral conta com duas corredoras da Massi-Tactic nos primeiros lugares, tendo Valeria Valgonen seis segundos de vantagem sobre a equatoriana Miryam Nuñez. A britânica Freya Rawlins (Soltec Team Costa Cálida) é terceira, a 10 segundos. Beatriz Roxo (Cantabria Deporte-Rio Miera) conserva a quarta posição e o estatuto de melhor portuguesa na classificação geral, a 20 segundos.

Alicja Ulatowska passou para a frente na classificação por pontos, sendo a nova dona da Camisola Vermelha Cofidis. A Camisola Azul IPDJ (montanha) tem nova proprietária, Miryam Nuñez. Marta Carvalho (Extremosul/Hotel Alísios/CA Terras do Arade) continua a vestir a Camisola Branca Médis, de melhor jovem. Por equipas comanda a Massi-Tactic.

A Volta a Portugal Feminina Cofidis segue, neste sábado, para a região europeia onde se produzem mais bicicletas. As corredoras vão enfrentar a etapa mais longa da competição, 111,3 km, entre Aveiro (13h00) e Águeda (16h00).

O prémio de montanha em Vale de Avim, a pouco menos de 40 quilómetros do final, será um obstáculo a ter em conta. Mas a meta, instalada num topo, também adiciona exigência à etapa, podendo levar algumas diferenças de tempo.

© 2024 Jogada do Mes. Todos os direitos reservados. XHTML / CSS Valid.