Domingo 23 de Fevereiro de 2020

Bille veio da Bélgica para liderar

1º CamisolaAmarela

DR – Nuno Veiga

Nem tudo o que reluz é ouro, mas candeia que vai à frente alumia (ou pode) duas vezes. Não será assim tão expressivo afirmar que este primeiro vencedor pode ser que venha a ter mais luz (amarela) pelo caminho mas também não se pode dizer que não.

Para já, numa prova individual, em que se conta apenas com o esforço de cada um, o belga Gaetan Bille deu provas de que foi o mais forte na curta etapa de abertura – que esta quarta-feira abriu as hostilidades em Viseu – vencendo o contra-relógio de 6 km em 7.22, com uma vantagem de três segundos sobre o espanhol Gustavo Veloso e nove sobre outro belga Dimitri Claeys. O melhor português foi José Gonçalves, em 5º, a dezasseis segundos.

Nascido em Soest, na Alemanha, mas de nacionalidade belga, o vencedor, de 27 anos, parece não ter grande esperança de andar muito tempo de amarelo, pese embora considerasse que “estou feliz porque derivou do triunfo na corrida de hoje”. A partir desta quinta-feira é que as coisas vão começar a ser mais sérias e depois logo se verá.

O último corredor dos 137 que iniciaram o percurso que atravessou o centro histórico da “Cidade Coração de Portugal” foi Gustavo Veloso (W52-Quinta da Lixa), o vencedor da Volta em 2014. O melhor português foi José Gonçalves (Caja Rural – Seguros RGA), que ao gastar mais 16 segundos que o vencedor, foi quinto classificado. Em dia de lutas individuais contra o cronómetro mereceu destaque também o italiano Luca Capelli (Team Idea 2010 ASD) ao vestir a Camisola Branca RTP, por ser o melhor jovem em prova.

Seja onde for, a Volta faz bater mais forte o coração de quem a recebe. Ainda o sol se revelava nas primeiras horas da manhã e já se sentiam as primeiras movimentações em Viseu.

Prólogo cumprido, a Avenida da Europa, ponto de partida e final de competição alargou-se em festejos com a cerimónia de pódio. Era Viseu a celebrar a Volta. Para trás ficaram, como sempre, as memórias de quem assistiu à festa deste verão, num espectáculo que se reinventa todos os anos.

Na estrada, esta quinta-feira, entre Pinhel e Bragança, com 196,8 quilómetros para percorrer a partir das 12h10, correr-se-á a segunda etapa – a primeira em linha e também a mais longa da volta – celebrando-se o regresso do nordeste transmontano à Serra de Bornes e à Volta a Portugal em Bicicleta.

Entretanto, entre esta quinta-feira e sábado, correr-se-á mais uma edição da Volta Júnior, de novo associando-se à rainha das provas velocipédicas.

Competição destinada aos jovens de 17 e 18 anos tem desenhado um percurso de 278,8 quilómetros, divididos em três etapas em linha que vão terminar em Fafe. A primeira tirada ligará Vila Nova de Foz Côa a Bragança, ao longo de 98,8 quilómetros. A principal dificuldade está guardada para a subida à Serra de Bornes, a 58 quilómetros da chegada.

© 2020 Jogada do Mes. Todos os direitos reservados. XHTML / CSS Valid.