Quinta-feira 03 de Dezembro de 2020

Rússia afastada dos Jogos Olímpicos

rio-2016Como se esperava, o Tribunal Arbitral do Desporto (TAS) rejeitou o recurso apresentado pelos atletas russos contra a suspensão imposta pela Federação Internacional de Atletismo (IAAF), confirmando a ausência da Rússia na modalidade e nos Jogos Olímpicos Rio2016.

Segundo o comunicado remetido à comunicaçãoo social, que tivemos acesso, “o painel do TAS confirmou a validade da decisão da IAAF em aplicar as regras definidas, segundo as quais os atletas de uma federação que esteja suspensa pela IAAF são inelegíveis para competições organizados sob as regras da IAAF”.

A Federação russa e os 68 atletas tinham recorrido da decisão da IAAF de suspender o atletismo russo de todas as provas, incluindo os Jogos Olímpicos, na sequência de um relatório elaborado pela Agência Mundial Antidopagem (AMA), que revelou um sistema de dopagem apoiado pelo governo.

Sessenta e sete atletas tinham também recorrido da decisão da IAAF de impedir que participassem no Rio2016 como independentes.

Depois de esta decisão ser publicada, a IAAF divulgou o seu apoio à decisão do TAS, tendo salientado que “A IAAF tinha tomado uma posição forte na defesa do código da Agência Mundial Antidopagem (AMA), sem medo ou favores, e está satisfeita por o Tribunal Arbitral do Desporto (TAS)”.

A IAAF referiu ainda que “que a decisão de hoje, do tribunal de Lausanne, criou condições equitativas para os atletas, ao defender o direito da IAAF em aplicar as suas regras e proteger atletas limpos e apoia a credibilidade e integridade da competição”.

Sebastian Coe, o antigo campeão olímpico e presidente da IAAF, mostrou-se satisfeito com o apoio das regras e do código antidopagem, embora tenha demonstrado tristeza pelo que se verificou.

“Não vim para este desporto para impedir atletas de competirem. Há um desejo instintivo da nossa federação de incluir, não de excluir. Além do grupo de trabalho do Rio, vamos continuar a trabalhar com a Rússia para criarmos um ambiente limpo para os seus atletas, para que a sua federação e equipa possam regressar ao reconhecimento internacional e às competições”.

Por seu lado, o ministro russo dos Desportos, Vitali Mutko, considerou a rejeição do recurso à suspensão imposta pela IAAF, como uma “decisão politica” e “sem fundamento jurídico”.

Mutko salientou ainda que “só posso expressar a minha decepção, mas vamos pensar sobre os próximos passos. Eu acho que é uma decisão subjectiva, política e sem base jurídica”, disse o ministro russo Vitali Mutko à agência de notícias TASS, após conhecida a decisão de afastar o atletismo russo do Rio2016.

O Kremlin também já expressou o seu “profundo pesar” pela decisão do TAS – segundo o porta voz Dmitry Peskov, considerando inaceitável a ideia da responsabilização colectiva que está patente na proibição de participação da equipa de atletismo russa no Rio2016.

 

© 2020 Jogada do Mes. Todos os direitos reservados. XHTML / CSS Valid.