Terça-feira 27 de Outubro de 2020

Bayern de Munique derrotou Lyon e vai defrontar o PSG na final da Liga dos Campeões

O Bayern dominou por completo os franceses do Lyon e assegurou mais uma presença na final da Liga dos Campeões, a caminho do sexto troféu, depois dos cinco que alcançou desde 1974, quando fez um “hat trick” seguido até 1976.

Pode dizer-se que, comparativamente os jogos realizados até a esta meia-final, o Lyon esteve bem longe do que já mostrou nas fases anteriores, em especial quando “despachou” o Manchester City nos quartos-de-final, ainda que tivesse dado um ou “ar da sua graça”, mas sem grande convicção.

bmuniq vs lyon lMIGUEL A

DR / UEFA _ MIGUEL A Lopes

O que aconteceu logo na abertura do jogo, quando (4’) Depay tirou Neuer da frente mas rematou para as malhas laterais da baliza à sua guarda,

Pouco depois, foi Anthony Lopes que safou, em cima da linha, um provável golo para os alemães no seguimento de um centro remate de Goretska, com a bola a tomar um efeito esquisito e quase a entrar na sua baliza.

Ekambi foi na “onda” atacante e esteve perto de abrir o activo, mas o remate feito (17’) levou a bola ao poste, gorando-se a hipótese.

O Bayern não perdeu tempo e, na resposta (18’), deu-se o primeiro passo de “dança” por parte do alemão Gnabry. Dominou a bola, seguiu pelo corredor central em direcção à baliza e, perto da grande área, rematou forte, com o pé esquerdo, fazendo o primeiro golo do desafio.

Um golo que não “caiu” bem junto dos franceses que, de alguma forma começaram a perder terreno e provocar brechas no seu meio campo que proporcionaram (33’) o segundo golo ao Bayern, obtido também por Gnabry (na continuação da “dança”), depois de Perisic cruzar a bola, com a defesa francesa a falhar a cobertura e a obrigar Anthony Lopes a uma defesa imperfeita, acabando a bola para seguir para Gnabry que não teve “remorsos” em fazer o 2-0, o que deu mais alguma tranquilidade.

Mas, no lado dos franceses, a falta de poder “psicológico” e até físico, deu origem a mais uma “cavalgada” dos alemães para (38’), Lewandoski, a centro de Gnabry, falhar o remate que daria o 3-0.

O intervalo ficou-se pelos 2-0 mas o segundo tempo ainda podia prometer muito.

Neuer (58’) garantiu a baliza inviolável depois de se atirar aos pés de Ekambi, que tinha recebido a bola de Dembélé, e agarrou a bola para evitar um eventual 1-2.

Mas o melhor artilheiro da Liga dos Campeões’2020 não estava ainda satisfeito com o resultado e (88’) fechou a conta no 3-0, no seguimento de um livre marcado por Kimmich, cabeceando para dentro da baliza. Lewandoski foi o autor.

Dos 19 remates feitos pelo Bayern contra os 9 do Lyon, dos quais 8 para a baliza (três apenas por parte do LyonI, no que resultou a marcação dos três golos, depois de uma maior posse de bola, que se cifrou em 66/34% para os alemães, pelo que o resultado é justo.

Como se referiu, esta é a sexta presença do Bayern na final da Liga dos Campeões, que defrontará o estreante nestas andanças – o Paris Saint Germain no próximo domingo (dia 23 deste mês), pelas 20 horas, em jogo que será transmitido em directo pela TVI.

© 2020 Jogada do Mes. Todos os direitos reservados. XHTML / CSS Valid.