Sexta-feira 06 de Agosto de 2021

Segundo triunfo consecutivo de Iuri Leitão na Alentejana, na chegada a Mora

Podium/João Calado

Podium/João Calado

Iúri Leitão ganhou pelo segundo dia consecutivo na 38ª Volta ao Alentejo/1º Grande Prémio CMTV, chegando em primeiro em Mora depois de, ainda frente a uma ligeira inclinação mesmo, ter discutido ao sprint na tirada que fez a transição entre o litoral e o interior alentejano, chegando em primeiro em Mora.

Satisfeito por mais este triunfo, Iuri revelou que “é muito bom para mim voltar a vencer aqui, depois da vitória de ontem. A minha equipa teve um trabalho muito difícil, controlou toda a etapa, acreditaram muito em mim, arriscaram tudo e abdicaram da própria ambição para confiarem em mim nesta chegada, sabendo que não era muito ao meu jeito por ser tão inclinada, ainda assim não se recusaram e deixaram tudo na estrada por mim, pelo que estou muito feliz e agradecido a eles”.

O dia foi de muito calor e o termómetro chegou a marcar 41 graus na etapa! Os 173,1 quilómetros entre Alcácer do Sal e Mora não foram fáceis para ninguém, na véspera da dupla jornada que poderá ser decisiva na luta pela geral. No entanto, esta sexta-feira foi mais um dia para os sprinters. A fuga até demorou um pouco mais a formar-se do que nas primeiras etapas, mas depois da meta volante em Grândola, aos 22 quilómetros, finalmente deu-se a movimentação que viria a decidir o trio que enfrentou o calor na frente da corrida.

Rúben Silva (Fortunna-Maia) garantiu que mais uma vez uma equipa de clube portuguesa estivesse representada na cabeça da corrida. Mas a sul-africana ProTouch colocou dois ciclistas: Callum Ormiston – que já tinha andado na frente no primeiro dia – e Tiano da Silva.

Desta feita, a Tavfer-Measindot-Mortágua teve de assumir o controlo no pelotão, em defesa da Camisola Amarela Sociedade Ponto Verde do seu líder, Iúri Leitão. A diferença nunca ultrapassou muito os seis minutos.

A primeira meta volante, em Grândola, foi ganha por Manuel Penalver (Burgos-BH), mas as duas restantes e o prémio da montanha, foram discutidos entre o trio da frente. Tiano da Silva ganhou em Alcáçovas, Ormiston em Montemor-o-Novo, enquanto os pontos máximos da montanha foram para o jovem português da Fortunna-Maia. Rúben Silva foi o primeiro a ceder, depois da marca dos 100 quilómetros.

A dupla da ProTouch bem se esforçou para tentar surpreender. Ormiston mas acabou por ficar sozinho durante alguns quilómetros. Porém, a cerca de 30 quilómetros da meta, o pelotão começou a reduzir a diferença de pouco mais de quatro minutos, principalmente quando a Caja Rural se aliou à Tafver-Measindot-Mortágua.

A expectativa de um sprint final concretizou-se. Iúri Leitão é o primeiro a admitir que não é o tipo de chegada que mais lhe agrada, mas até deu tempo para um festejo mais calmo e a mostrar bem o nome da equipa que está em destaque nesta Alentejana, tendo completado a prova no tempo de 4.16.16, atribuído aos primeiros 78 dos 121 chegados.

Mikel Aristi (Euskaltel-Euskadi) voltou a ser segundo e Luís Mendonça (Efapel), vencedor da Volta ao Alentejo em 2018, foi terceiro.

Não havendo bonificações, Leitão mantém a amarela com (14.16.06) o mesmo tempo que Mikel Aristi e David Gonzalez (Caja Rural-Seguros RGA), o terceiro classificado da geral. A Camisola Verde Crédito Agrícola também é do ciclista de Viana do Castelo, de 22 anos.

Quanto às restantes camisolas, o japonês Masahiro Ishigami (Nippo-Provence-PTS Conti) mantém a Camisola Preta E-Redes (Montanha) e Alex Molenaar a Branca FGil.pt (Juventude).

 

Dia de Decisões

 

O fim-de-semana da Alentejana começa com etapa dupla. A quarta tirada arranca às 10h15 (partida simbólica) e a chegada deverá acontecer às 12h30. De manhã serão 85 quilómetros entre Monforte e Castelo de Vide. Haverá três contagens de montanha: uma segunda categoria em Cabeço do Mouro e duas terceiras em Monte Paleiros e Senhora da Penha. É uma etapa importante para ajudar a definir o vencedor, mas pode não ser decisiva porque durante a tarde haverá mais acção, com o contra-relógio (quinta etapa) de 8,4 km, que começa pelas 16 horas.

 

Volta a França com dois portugueses

 

Este sábado, Rui Costa e Ruben Guerreiro serão os únicos portugueses presentes na mítica Volta à França, que começa em Brest e terminará (dia 18 de Julho) em Paris.

A primeira etapa, com 197,8 km, correr-se-á entre Brest e Landemeau, sendo que estarão em prova 23 equipas.

 

© 2021 Jogada do Mes. Todos os direitos reservados. XHTML / CSS Valid.