Sexta-feira 06 de Agosto de 2021

Benfica (masculino) e Sporting (feminino) revalidaram títulos nos nacionais de equipas em Guimarães

F P Atletismo

F P Atletismo

O Benfica (masculino) e o Sporting (feminino) conquistaram mais um título cada no campeonato nacional de equipas, em atletismo, uma norma que vem sendo cumprida ano após ano, se bem que sem o fulgor dos anos até ao princípio do século XXI, em que os dois clubes discutiam a primazia por um ponto ou apenas meio ponto de diferença.

F P Atletismo

F P Atletismo

No masculino, o Benfica (33º título) confirmou-se ao vencer com 163 pontos, contra 144 do Sporting e 87 do Sporting de Braga, enquanto no feminino, o Sporting sagrou-se campeão (51º título) com 163 pontos, à frente do Benfica (99) e da Associação Jardim da Serra (95).

Para o título masculino do Benfica contribuíram as vitórias nos 800 metros, com José Carlos Pinto a fazer 1.29,96s; de João Vítor Oliveira nos 110 metros barreiras, com 13,84s; nos 400 metros barreiras, por Mikael Jesus, com a marca de 51,44s; nos 200 metros, por Frederico Curvelo, que venceu com o tempo de 21,57s; nos 3000 metros obstáculos, com André Pereira a vencer com 8m46,91s nos 3000 metros, com Etson Barros com o registo de 8m20,12s; no lançamento do martelo, por Décio Andrade, com a marca de 67,70 metros; no salto em altura, por Gerson Baldé, ultrapassando a fasquia até aos 2,15 metros; e nos 4×400 metros, pela estafeta composta por Lucírio Garrido, Rafael Jorge, Mikael Jesus e Ricardo Dos Santos, com a marca de 3m12,21s.

F P Atletismo

F P Atletismo

No feminino, destaque para a estafeta feminina de 4×400 metros do Sporting, composta por Cátia Azevedo, Dorothé Évora, Juliana Guerreiro e Vera Barbosa, que venceu com 3.35,55s, melhor marca nacional de sempre de um clube e a segunda melhor marca nacional do ano, só ultrapassada pela Selecção Nacional que representou Portugal, no Europeu de Nações.

Para o título do Sporting, contribuíram ainda as vitórias, no dardo, com Cláudia Ferreira, com o registo de 54,81 metros, recorde pessoal e melhor marca nacional do ano; na vara, da campeã e recordista de Portugal, Marta Onofre, com a marca de 3,73 metros; no peso, de Jéssica Inchude, com a marca de 17,61 metros; nos 200 metros, da recordista de Portugal de 100 metros e Campeã de Portugal de 100 e 200 metros, Lorene Basolo, que voltou a não dar hipótese, juntando a vitória da meia-volta à pista, com a marca de 23,23s, a segunda melhor marca nacional do ano, à conquistada ontem nos 100 metros; nos 400 metros barreiras, pela vice-campeã de Portugal e campeã nacional de esperanças, Juliana Guerreiro, com a marca de 58,84s; nos 100 metros barreiras, por Olímpia Barbosa, com a marca de 13,33s, melhor marca nacional do ano.

No final da competição, o presidente da Federação Portuguesa de Atletismo, Jorge Vieira, fez um balanço “positivo do ponto de vista desportivo e organizativo”, referindo que, “a um mês dos Jogos Olímpicos, as marcas realizadas por alguns atletas” mostram que estamos no bom caminho, já que é a partir de agora que todos procuram estar no seu melhor. “Espero que os que aqui se apresentaram em grande forma a mantenham e que quem ainda não está nesse nível consiga lá chegar”, afirmou o presidente da FPA, aproveitando para “agradecer a todos os que, de forma resiliente, continuaram a trabalhar neste contexto particularmente difícil, para que fosse possível proporcionar momentos competitivos no atletismo”.

F P Atletismo

F P Atletismo

Entretanto, o Clube de Atletismo de Seia (masculino), com 127 pontos, e, em femininos, a Juventude Operária de Monte Abraão, com 112 pontos, venceram a II Divisão dos Campeonatos Nacionais de Clubes, que se realizaram este fim-de-semana, na Pista Gémeos Castro, em Guimarães. Do lado masculino, na segunda e terceira posições classificaram-se a equipa do GRECAS e a da Associação Desportiva e Recreativa de Água de Pena (ADRAP), com respectivamente 103 e 97 pontos. Já do lado feminino, o segundo e o terceiro lugares do pódio foram para o Maia Atlético Clube e para o GRECAS, com 109 e 101 pontos, respectivamente.

Por outro lado, a cidade da Maia (Porto) acolheu, na pista do Estádio Dr. José Vieira de Carvalho, a final da III Divisão dos Campeonatos Nacionais de Clubes, com o título a ser entregue, em masculinos, com 105 pontos, ao Gira Sol, e, em femininos, com 122 pontos, à Associação Cultural e Recreativa Senhora do Desterro (ACRSD). Do lado masculino, no segundo lugar, com 103 pontos, classificou-se a Juventude Ilha Verde (JIV-Açores), e, na terceira posição, a União Futebol Clube de Tomar (UFCT), equipa que se classificou na segunda posição em femininos. Completou o pódio feminino, no terceiro lugar, com 90,5 pontos, o Grupo Desportivo Diana.

© 2021 Jogada do Mes. Todos os direitos reservados. XHTML / CSS Valid.