Sexta-feira 19 de Agosto de 2022

Sporting de Braga sem apuramento directo na Liga Europa ante um Estrela Vermelha que brilhou a … defender!

logo bola uefa 2021 uefa europa league

Richard Juilliart – UEFA Europe League

Por norma, diz-se que uma equipa brilha (mais ou menos) quando ganha um jogo, em especial porque se decidia o apuramento para os oitavos-de-final da Liga Europa, mas a verdade é que a estrela (vermelha) esteve mais pelo lado dos sérvios, que acabaram por seguir em frente.

Entrando no jogo com um pendor ofensivo de fazer “tremer”, o Sporting de Braga depressa conquistou quase todo o terreno, dominou a bel-prazer e chegou a um máximo de 67/33% de posse de bola no final do primeiro tempo, ascendente que começou a cair no início do segundo tempo, chegando a um 57/43% por altura dos 70’, depois do período em que as duas formações marcaram os respectivos golos.

Daí partiram para manterem a paridade com que se chegou ao final (90+6’) se bem que o Braga voltasse a terminar bem perto dos números alcançados no final dos 45 minutos iniciais, reforçada pelos 67/33% de posse de bola, correspondente a 20-5 em remates, dos quais 7-3 para a baliza, ainda que não tivessem conseguido a pontinha de sorte que acabou por fugir para os visitantes.

A superioridade bracarense nunca esteve em causa mas a não concretização das oportunidades de golo foram o mais evidente, tornando-se mais difíceis para a parte final da partida, quando o Estrela Vermelha começou a baixar o ataque e ficar-se pelo seu meio campo e defesa, na retranca, como foi possível verificar por retardamentos em colocar a bola jogável.

Vitinha, Iuri Medeiros, Ricardo Horta e Galeno batalharam para tentarem chegar-se à frente mais cedo mas, apesar do mérito das iniciativas, nenhuma deu resultados, porquanto os dois golos da partida chegarem por via de outras tantas grandes penalidades.

O primeiro (52’) depois de Gabelgic ter desviado com o braço a bola da cabeça Iuri Medeiros, dentro da grande área, tendo Galeno feito o 1-0, para Katai (que tinha entrado entretanto) chegar ao 1-1, depois de uma falta cometida, também dentro da área, por Diogo Leite, a bater com a cabeça na cabeça do seu adversário e este a cair, golo obtido por Katai (69’), que rematou forte e à figura de Matheus, que se atirou para o lado esquerdo.

Mais tarde (80’) Vitinha foi puxado pela camisola na grande área mas o árbitro entendeu que não era falta passível para a grande penalidade.

Os últimos dez minutos foram de “gritos”, com o Braga a conquistar cantos atrás de cantos (quatro, pelo menos) que não deram em golos porque a defesa se sobrepôs sempre a um ataque em dificuldades finais, ainda que (90+2’) Raul Silva teve o golo na cabeça mas atirou mais em jeito do que em força e a trajectória da bola obrigou o guardião sérvio a voar para que não entrasse na baliza.

Pela vantagem global, o Sporting de Braga podia ter sido o vencedor, mas a sorte não esteve com a equipa.

Quanto aos possíveis adversários no play off, o Braga (que será cabeça de série) não jogará frente ao F. C. Porto porquanto as equipas são do mesmo país; mas são hipóteses a considerar as formações do Leipzig e Borússia Dortmund (Alemanha), Sheriff Tiraspol (Moldávia), Zenit St. Petersburgo (Rússia), Barcelona e Sevilha (Espanha), Atalanta (Itália)

Sob a direcção do árbitro italiano Marco Guida, as equipas alinharam da seguinte forma:

Sporting de Braga – Matheus; Yan Couto, Paulo Oliveira, Raul Silva e Diogo Leite; Al Musrati, André Horta e Galeno; Iuri Medeiros, Vitinha e Ricardo Horta.

Estrela Vermelha – Borjan; Pankov (Degenek, 77’), Dragovic, Erakovic e Rodic; Srnic (Ben, 64’) Kanga; Gobeljic, Katai (Krsticic, 77’) e Ivanic; Zivkovic (Pavkov, 64’).

O Estrela Vermelha somou 11 pontos, o Sporting de Braga (10), o Midtjylland (9) e o Ludogorets (2).

 

© 2022 Jogada do Mes. Todos os direitos reservados. XHTML / CSS Valid.