Terça-feira 04 de Março de 8955

Benfica com duplo título nacional de pista coberta com recorde nacional dos 4×400 para o Sporting

Atl-NacionalPCoberta-I---11-02-2024

FPA / Marcelino Almeida e Luís Barreto

Numa segunda jornada épica, com emoção prova a prova, o Benfica conseguiu a “dobradinha” (masculino e feminino), o que não acontecia há 30 anos, com o Sporting a alcançar mais um recorde nacional, na estafeta de 4×400 metros (feminino).

Foi o que aconteceu na segunda jornada das finais dos Campeonatos Nacionais de Clubes, na primeira divisão, competição que decorreu em Pombal, organizada pela Federação Portuguesa de Atletismo, com os apoios da Associação Distrital de Atletismo de Leiria e do Município de Pombal.

Emoção competitiva com o equilíbrio das duas equipas que estavam a lutar pelos títulos. Contudo, um protesto do Sporting levou a adiar o anúncio das decisões. Até aí, parecia nítido que o Benfica, trinta anos depois, voltava a fazer a dobradinha, com títulos em masculinos e feminino, o que foi confirmado após análise do processo, com o Benfica a vencer com um ponto de vantagem nos masculinos (o ano passado perdera por meio ponto) e, em femininos, a ganhar por três pontos.

O Sporting esteve com sete pontos de atraso em relação ao Benfica, que viu a jornada começar bem, com o triunfo de Agate Sousa no triplo-salto (13,82 metros), diante de Evelise Veiga, que chegou aos 13,22 m. Depois o Sporting começou a ganhar vários pontos, com o triunfo de Patrícia Silva nos 800 metros, diante de Claudia Bobocea, e nos 3000 metros com Fancy Cherono a impor-se a Joana Soares (Jardim da Serra) e Vanessa Carvalho (SCB), com Dulce Félix a ser quarta classificada!

A única prova em que as atletas do Benfica e Sporting deixaram de ganhar foi os 60 metros barreiras, com triunfo de Catarina Karas, do Jardim da Serra, com um excelente recorde pessoal, seguida da sportinguista Jessica Barreira e da benfiquista Catarina Queirós.

Atl-NacionalPCoberta-I--11-02-2024

FPA / Marcelino Almeida e Luís Barreto

Enquanto ainda decorria o salto com vara, veio mais um grande resultado, com o quarteto do Sporting, composto por Carina Vanessa, Vera Barbosa, Juliana Guerreiro e Cátia Azevedo, a vencer em 3.36,51, um recorde nacional de clubes, retirando da lista os 3.37,70 que uma equipa do Sporting tinha conseguido em 2020, então com Dorothé Évora no lugar de Carina Vanessa. O Benfica ficou em segundo lugar e as contas estavam em dois pontos de vantagem para as leoas. Tudo dependia do resultado do salto com vara. E Joana Barreto (que fez 21 saltos) conseguiu um record pessoal, derrotando Raquel Marques, do Sporting, e a favorita, Cátia Pereira, do Póvoa de Varzim.

Ficou claro o equilíbrio entre as duas equipas e os detalhes fariam a diferença. O Sporting conseguiu triunfos no salto em altura e no triplo-salto, por Tiago Luís Pereira (com a melhor marca nacional do ano no salto em altura – 2,20 m), e nos 800 metros, com a vitória do argelino Mohamed Ali Gouaned diante de Isaac Nader, que os deixava em vantagem por um ponto.

O Benfica foi equilibrando depois com os triunfos nos 3000 metros, com Etson Barros, e 60 metros barreiras, por Roger Iribarne (que foi segundo no triplo-salto…), passando para a frente. O lançamento do peso trouxe o Benfica de novo para a frente das contas, com Francisco Belo a triunfar, derrotando Daniel Santiago, do Estreito (que no ano passado estava no Sporting), e Edujose Lima, do Sporting. Ficava tudo a depender da estafeta de 4×400 metros… que correu de feição para o Sporting, que já era favorito, e triunfou claramente um quarteto do Benfica que incluiu até o barreirista Sisínio Ambriz.

Os pódios da segunda ronda, este domingo:

Femininos

800 metros – 1ª Patrícia Silva (SCP), 2.05,80; 2ª Claudia Bobocea (SLB), 2.06,26; 3ª Mariana Machado (SCB), 2.09,06.

3000 metros – 1ª Fancy Cherono (SCP), 9.29,56; 2ª Joana Soares (AJS), 9.40,72; 3ª Vanessa Carvalho (SCB), 9.43,98.

60 m barreiras – 1ª Catarina Karas (AJS), 8,27; 2ª Jessica Barreira (SCP), 8,32; 3ª Catarina Queirós (SLB), 8,37.

Vara – 1ª Joana Barreto (SLB), 3,75; 2ª Raquel Marques (SCP), 3,70; 3ª Cátia Pereira (ACPV), 3,60.

Triplo – 1ª Agate Sousa (SLB), 13,82; 2ª Evelise Veiga (SCP), 13,22; 3ª Ana Rita Silva (AJS), 13,09.

4×400 metros – 1.º Sporting, 3.36,51 (recorde nacional); 2.º Benfica, 3.44,50; 3.º J. Vidigalense, 3.56,07 (vencedor da série 1).

Classificação coletivas:

1º Benfica, 93; 2.º Sporting, 90; 3º A C D Jardim Serra, 58; 4º G D Estreito, 51; 5º J. Vidigalense, 51; 6º A C Póvoa de Varzim, 45; 7º Sporting Braga, 44; 8º GR Eirense, 35 (as duas últimas equipas descem à segunda divisão)

Masculinos

800 metros – 1º Mohamed Ali Gouaned (SCP), 1.52,67; 2º Isaac Nader (SLB), 1.53,02; 3º David Azevedo (JV), 1.56,45.

3000 metros – 1º Etson Barros (SLB), 8.25,45; 2º Ruben Amaral (SCP), 8.27,94; 3º Hugo Rocha (GDE), 8.28,28.

60 m barreiras – 1º Roger Iribarne (SLB), 7,65; 2º Abdel Larrinaga (SCP) 7,74; 3º Hugo Vasquez (SCB), 8.09.

Altura – 1º Tiago Luís Pereira (SCP), 2,20; 2º Gerson Baldé (SLB), 2,07; 3º Nelson Pinto (AJS), 1,01.

Triplo – 1º Tiago Luís Pereira (SCP), 16,30; 2º Roger Iribarne (SLB), 15,57; 3º Oleksandr Lyashenko (AJS), 15,24.

Peso – 1º Francisco Belo (SCP), 19,89; 2º Daniel Santiago (GDE), 15,84; 3º Edujose Lima (SCP), 15,29.

4×400 metros – 1.º Sporting, 3.11,53; 2.º Benfica, 3.13,29; 3.º Maia, 3.21,15.

Classificação coletiva: 1º Benfica, 97; 2º Sporting, 96; 3º J. Vidigalense, 56; 4º Maia A C, 52,5; 5º Sporting Braga, 48; 6º A C D Jardim Serra, 47,5; 7º G D Estreito, 41; 8º C A Seia, 29 (o Estreito e o Seia descem à segunda divisão).

 

© 8955 Jogada do Mes. Todos os direitos reservados. XHTML / CSS Valid.