Terça-feira 31 de Março de 2020

Emanuel Silva, João Ribeiro e João Pereira em superação ficaram perto do Bronze

rio-2016Emanuel Silva e João Ribeiro (K2 1000 metros) e João Pereira (triatlo) foram os heróis portugueses nesta quinta-feira, ao superarem-se e conseguiram extraordinárias performances, com os primeiros a ficarem apenas a 28 centésimos da medalha de bronze e o terceiro a nove segundos também do bronze.

Mantendo uma cadência de excelente ritmo (comprovativo com os 3.12,88 no final, depois de 3.18,09 na meia-final), Emanuel e João quebraram um pouco a partir dos 750 metros, quando passaram, num ápice, para 5ºs, mas indo buscar a tal superação para, nos metros finais, voltar à carga e perder ingloriamente, por poucos segundos, uma medalha que mereciam por completo.

A prova foi ganha pela dupla alemã (perfeitamente imbatível neste dia) com o tempo de 3.10,78, se bem que tenham tido uma luta cerrada com a Sérvia, que ficou a dezanove segundos, com a Austrália manter a ligeira vantagem sobre os portugueses a chegar ao bronze com 3.12,59.

Bem se pode dizer que, acreditando um no outro, não conseguiram fazer voar o barco até à medalha.

Proeza semelhante – embora chegado um lugar depois (5º) – foi alcançada pelo triatleta João Pereira, que só não ganhou a medalha devido a um percalço na saída água para o segmento de bicicleta, porventura o causador da não chegada ao pódio. Pereira iniciou a corrida na 17ª posição, a 1.23 minuto do primeiro, subindo doze lugares.

No ciclismo, seguiu sempre no grupo perseguidor, a cerca de 1 minutos dos líderes, num grupo de 10 atletas, onde estava João Silva e uma queda no grupo perseguidor atrasou-o.

João Silva terminou na 35ª posição, com 1.51.33 e Miguel Arraiolos classificou-se no 44º lugar, com 1.53.35, tendo terminado a prova 55 concorrentes.

 

Pódio ainda ao alcance dos portugueses

 

Esta sexta-feira, os atletas portugueses vão entrar em quatro provas, de três modalidades, nas quais surgem previsões de alguns poderem chegar ao pódio.

Os mais candidatos são a cavaleira Luciana Diniz (até agora impecável), que tem pela frente duas rondas para fazer sem penalizações e garantir um lugar no pódio, até porque se encontra no grupo das quatro melhores classificadas, se bem que a pontuação anterior tenha sido apagada e agora só contará a de cada ronda (de duas) a efectuar.

Outra, com alguma naturalidade, poderá vir de quem tem dado provas, há muito tempo, como é o caso de David Fernandes, Emanuel Silva, Fernando Pimenta e João Ribeiro, de que merecem subir ao pódio no K4 1000 metros.

Uma terceira via de se chegar ao pódio será na marcha, em especial no sector feminino, com vantagem para Aba Cabecinha, a nossa melhor representante na actualidade.

De surpresa em surpresa, acreditemos que isso poderá confirma-se esta sexta-feira.

 

Programa português para esta sexta-feira (dia 19)

 

Atletismo

- 50km Marcha (M), Final, João Vieira, Miguel Carvalho e Pedro Isidro, 12h00

- 20km Marcha (F), Final, Ana Cabecinha, Daniela Cardoso e Inês Henriques, 18h30

Canoagem

- K4 1000m (M), Eliminatórias, David Fernandes, Emanuel Silva , Fernando Pimenta e João Ribeiro, 13h51

- K4 1000 – Meias-finais, 14h36

Equestre

- Salto de Obstáculos, Final-Round A, Luciana Diniz, 14h00

- Salto de Obstáculos, Final-Round B, Luciana Diniz 17h30.

 

Medalheiro – Estados Unidos completou 100 medalhas

 

Após as finais das provas relativas a esta quinta-feira (na hora de fecho da redacção, 3 horas da madrugada), a Alemanha subiu ao quarto posto, descendo a Rússia para quinto, ficando a classificação ordenada como segue:

1.Estados Unidos, 100 medalhas, sendo 35 de ouro, 33 de prata e 32 de bronze; 2. Grã-Bretanha, 56 (22-21-13); 3. China, 58 (20-16-22); Alemanha, 32 (13-8-11); Rússia, 44 (12-15-17); Japão, 36 (12-6-18) e França, 34 (8-12-14).

Portugal mantém-se no último grupo de doze países (71ª posição) correspondente ao bronze de Telma Monteiro.

 

Usain Bolt a caminho do triplo ouro pela terceira vez consecutiva

 

O jamaicano Usain Bolt, ao vencer os 200 metros (19,78), cumpriu a conquista da segunda medalha de ouro, nesta madrugada de sexta-feira, faltando apenas a da estafeta de 4×100 metros, precisamente no final deste dia.

O triunfo acabou por ser, ainda assim, mais facilitado pela ausência do seu maior adversário, o norte-americano Justin Gatlin, eliminado um pouco estranhamente na meia-final.

A medalha de prata foi para o canadiano Andre de Grasse (20,02) e o bronze para o francês Christophe Lemaitre (20.12).

Este triunfo foi uma prenda de aniversário antecipado, já que Bolt cumprirá 30 anos de vida no domingo, último dia dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro.

Detendo os recordes mundiais dos 100 (9,58 em Berlim, em 2009), 200 (19,19 também em Berlim e na mesma altura) e da estafeta de 4×100 (36,84 em Londres, 2012), o homem mais veloz sobre a Terra tornou-se o primeiro atleta duplamente campeão olímpico em três olimpíadas seguidas (2008, 2012 e 2016) nos 100 e 200 metros, seguindo-se esta noite a dos 4×100 metros.

 

Doping está de volta

 

Em comunicado distribuído à comunicação social, o TAS indicou que Kléber da Silva, de 30 anos, que já estava suspenso provisoriamente pela União Ciclista Internacional (UCI) devido a um positivo antes de ter disputado a corrida de fundo de ciclismo de estrada do Rio2016, acusou CERA (eritropoietina de terceira geração).

A nadadora chinesa de 18 anos, que ficou em quarto lugar nos 100 metros mariposa nos Jogos Olímpicos do Rio2016, também já tinha sido suspensa, depois de uma análise que detectou um diurético proibido pela Agência Mundial Antidopagem (AMA).

O TAS já tinha decidido também o afastamento definitivo da búlgara Silvia Danekova, inscrita na prova de atletismo dos 3.000 obstáculos, que acusou eritropoietina (EPO) num controlo a que se submeteu à chegada ao Rio de Janeiro.

Danekova, de 33 anos, submeteu-se ao controlo a 26 de Junho, dias depois da chegada da comitiva búlgara ao Rio de Janeiro.

Também excluído em definitivo por doping ficou o halterofilista Tomasz Zielinksi.

O halterofilista Izzat Artykov, do Quirguistão, tornou-se entretanto o primeiro atleta a ser destituído da medalha conquistada nos Jogos Rio2016 por ‘doping’.

Artykov, a competir na categoria de -69 kg, tinha conquistado na terça-feira a medalha de bronze na sua modalidade, atrás do chinês Zhiyong Shi e do turco Daniyar Ismayilov, medalhas de ouro e prata, respectivamente.

O colombiano Luís Javier Mosquera, quarto classificado, poderá vir a herdar a medalha de bronze.

© 2020 Jogada do Mes. Todos os direitos reservados. XHTML / CSS Valid.