Quarta-feira 26 de Fevereiro de 2020

Depois da alegria da festa de cor e luz … aí estão as competições!

paraolympics2016_abertura

DR_ OIS/COI/Simon Bruty

Depois de mais uma cerimónia de abertura de causar “arrepios” – pelo menos para quem não esteja familiarizado com esta actividade desportiva destinada aos cidadãos portadores de deficiência – chegou o primeiro dia da competição.

Uma abertura diferente de todas as anteriores, com efeitos e contra efeitos visuais e não só, que tiveram uma moldura humana à altura do acontecimento, com um final à chuva na altura de levar a chama olímpica até à pira, que ficará acesa ao encerramento, no dia 17.

Outra imagem marcante foi o transporte, um pouco antes, da bandeira olímpica, com os atletas nele envolvidos a levar à sua frente, devidamente seguros, oito jovens com diversos tipos de deficiência, o que calou bem fundo todo o mundo que enchia o Maracanãzinho, com muitos milhares a deixar chegar as lágrimas aos olhos.

Boda molhada é boda abençoada, como diz o ditado português. E desejamos que o seja para todos.

Quanto às competições e aos portugueses, nesta ronda inicial (esta quinta-feira) vão estar em acção Nuno Alves na final directa dos 10.000 metros (14h00 portuguesas), seguindo-se as eliminatórias dos 400 metros, com Luís Gonçalves (bronze em Londres’2012) a tentar encontrar o caminho para a repetição.

Miguel Vieira (- 66 kg), no judo, estará no tatami para competir às 14 horas (luta pelas medalhas às 21h00), terminando com Graça Fernandes a correr as eliminatórias dos 100 metros (0h12), hora portuguesa.

Neste evento do Rio do Janeiro vão estar 4.350 atletas, oriundos de 171 países, que estarão em competição em 22 modalidades, com Portugal a apresentar-se em sete, ainda assim mais duas que há quatro anos, em Londres, pelo facto se ter conseguido o apuramento no Judo e no Tiro.

Portugal apresenta uma equipa com 37 atletas, nas modalidades de atletismo (17) e Boccia (10) – precisamente onde se tem conquistado mais medalhas – Ciclismo (2), Equitação (1), Judo (1), Natação (5) e Tiro (1).

Na história da presença portuguesa nos Jogos Paralímpicos conta-se a conquista de 88 medalhas, sendo 25 de ouro, 30 de prata e 33 de bronze, com o maior número a ser alcançado em 2000, em Sydney, com 15, sendo 6 de ouro, cinco de prata e quatro de bronze, respeitando à presença em competições de 11 modalidades ao longo das nove edições já concretizadas.

Nestas, 51 foram alcançadas no atletismo, 24 na Boccia, 9 na Natação, 2 no ciclismo, e uma no Futebol e outra no ténis de mesa.

Uma longa história que Portugal já têm – cumpre-se neste dia a décima presença lusa – e que os atletas vão tentar ser ainda maior com a obtenção de resultados de excelência.

Na cerimónia, o primeiro-ministro esteve acompanhado pelos Secretários de Estado de Inclusão Social e da Juventude e Desporto, Ana Sofia Antunes e João Paulo Rebelo, tendo

Tido oportunidade de dizer que “os Jogos Paralímpicos são o maior desafio que se coloca à humanidade, porque não é só o objectivo de cada um superar-se a si próprio, que no conjunto da sociedade, nos superarmos relativamente ao preconceito e ao trabalho que temos de fazer para termos uma sociedade inclusiva. Uma sociedade em que todos possam viver e realizar-se plenamente”.

A melhor sorte para todos.

 

© 2020 Jogada do Mes. Todos os direitos reservados. XHTML / CSS Valid.