Sábado 26 de Setembro de 2020

Uma prata brilhante mas …“amarga”

European Championships Luxembourg 2017Portugal conquistou a medalha de prata do europeu que este domingo se concluiu no Luxemburgo ao perder com os campeões europeus em título – Alemanha – o que foi um feito assinalável porque o segundo melhor de sempre depois do triunfo alcançado em 2014, pese embora tenha ficado um certo sabor “amargo”.

Isto porque, nos jogos deste último dia, Marcos Freitas não teve a sorte pelo seu lado e cometeu alguns erros (quem não os comete, ainda pior perante uma pressão de uma final europeia e contra uma equipa que era campeã) em momentos cruciais.

Perante Timo Boll, Marcos foi o único a dar mais luta e a chegar aos cinco “sets” (2-3), enquanto Tiago Apolónia se ficou por uma “chita” (0-3) frente a Dimitrij Ovtcherov e João Monteiro chegou ao quarto jogo para perder (1-3) ante Patrick Franziska, com os alemães a dominarem melhor a referida pressão e a actuar mais concentradamente.

Marcos cumpriu os parciais com 9-11, 11-7, 13-15, 11-5, 12-10, enquanto Tiago foi mais rápido (11-6, 11-7, 11-9) e João Monteiro caminhou com 10-12, 11-6, 11-9, 11-5.

Como se referiu, foi mais um resultado brilhante – reluziu a prata desta vez – para a equipa nacional, quiçá perdedora por “vingança” da derrota alemã frente à Roménia, na competição feminina, Dado que a esposa de João Monteiro (Daniel) foi a melhor da equipa que conquistou o título de campeã europeia pela primeira vez.

No decorrer do campeonato, Portugal apenas perdeu com os germânicos (bronze nos Jogos Olímpicos do Rio 2016), tendo vencido a França (3-2), Croácia (3-1), Eslováquia (3-1), Áustria (3-2) e Eslovénia (3-0).

A selecção alemã tem dois jogadores do Top 10 mundial – Dimitrij Ovtcharov (n.º 4) e Timo Boll (n.º 6) – e jogou ainda com Patrick Franziska (n.º 53).

Portugal apenas por uma vez tinha chegado à final do Campeonato da Europa de equipas, quando venceu em Lisboa 2014, frente à equipa germânica.

Os jogadores João Geraldo, João Monteiro, Marcos Freitas e Tiago Apolónia vão participar no Open da Áustria, que tem início na terça-feira e seguem directamente para o território austríaco. Apenas Diogo Carvalho, e as jogadoras Cátia Martins, Fu Yu, Leila Oliveira e Jieni Shao regressam a Portugal, chegando ao Porto às 18h00 desta segunda-feira.

Para Pedro Moura, presidente da Federação Portuguesa de Ténis de Mesa, “esta foi mais uma semana espectacular do Ténis de Mesa de Portugal, durante a qual os objectivos principais foram cumpridos. A equipa feminina atingiu os quartos-de-final e a  equipa masculina chegou à final. Hoje estamos todos um pouco tristes, mas daqui a uns dias esta semana será recordada com orgulho e pelas melhores razões”.

Disso não haverá dúvida, porquanto ser campeões e vice-campeões europeus não é para qualquer país.

Na competição masculina, depois de Portugal e da Alemanha, a Eslovénia e a França conquistaram o bronze, seguindo-se Suécia, Croácia, Ucrânia e Grécia.

No feminino, com a Roménia a chegar ao ouro pela primeira vez, a prata foi para a Alemanha e o bronze para Holanda e Rússia, ficando a seguir Hungria, Áustria, Polónia e Portugal (8º).

Entretanto, a Federação Portuguesa de Ténis de Mesa recebeu a incumbência da União Europeia de Ténis de Mesa (ETTU) para organizar o “Top 10” Europeu de Jovens em 2018, de acordo com a decisão tomada pela respectiva direcção, reunida este sábado no Luxemburgo.

A competição vai realizar-se em Vila Real, no início da próxima época desportiva, e reúne os dez melhores jogadores masculinos e femininos do ranking europeu, dos escalões de cadetes e juniores.

Mais uma vitória lusa, a que se deve, sem dúvida, o extraordinário histórico português na modalidade, conquistado nos últimos anos e cujos resultados estão a dar frutos.

© 2020 Jogada do Mes. Todos os direitos reservados. XHTML / CSS Valid.