Segunda-feira 23 de Janeiro de 0890

Espanhol Raúl Alarcón repetiu vitória do ano passado

80ª Volta a Portugal Santander 2018Rolando ao “ataque” e, ao mesmo, à “defesa” – porque um minuto e picos que tinha de avanço podia não dar para ganhar – o espanhol Raúl Alarcón soube contornar todas as “directivas” e seguir um caminho que o levasse, da melhor forma, ao primeiro lugar da 80ª Volta a Poertugal’2018, o que aconteceu pela segunda vez consecutiva.

Apesar de ter feito o terceiro tempo no contra-relógio final (este domingo em Fafe), a 34 segundos do vencedor Vicente de Mateos, que venceu com 25.17, Alarcón (W52/FCP) soube impor-se, ao longo de toda a prova, em especial nas duas últimas etapas, onde garantiu o tal minuto e picos para chegar ao fim no primeiro ligar do pódio.

Joni Brandão (Sporting/Tavira) fez mais dois segundos do que Alarcón e, por isso, manteve-se na na segunda posição, enquanto o pódio foi completado com Vicente de Mateus, com no sportinguista a só se poder de queixar de si (e quiçá da equipa) por não ter feito melhor.

Para terminar e provar que foi o mais rápido no conjunto dos 11 dias de competição, o espanhol fez o terceiro tempo no contra-relógio final controlando o andamento e não assumindo riscos desnecessários ao longo dos 17,3 quilómetros do percurso que encerrou a prova.

Num autêntico assalto à classificação colectiva, a W52-FC Porto colocou cinco dos sete corredores da equipa nos dez melhores do último dia. No dia anterior, após a Senhora da Graça, Alarcón já tinha garantido a Camisola Azul Liberty Seguros da montanha.

“Estou muito contente. São muitas emoções… A verdade é que fiquei sem palavras. Mais uma vez demonstrámos que estamos bem e unidos”, salientou o vencedor da 80ª Volta a Portugal Santander.

80ª Volta a Portugal Santander 2018Alarcón terminou com 1 minuto e 3 segundos de vantagem sobre Joni Brandão (Sporting-Tavira), que conseguiu segurar o segundo lugar, apesar da tentativa de Vicente García de Mateos para subir uma posição.

Feitas as contas Brandão, quarto no contra-relógio, manteve o segundo lugar com vantagem de 11 segundos sobre o espanhol terceiro classificado que, ainda assim foi o mais rápido, no exigente exercício de luta contra o cronómetro.

João Rodrigues (W52-FC Porto) fez o segundo melhor registo a 21 segundos. Na geral Mateos repete o terceiro lugar de 2017 e a vitória na classificação dos pontos, vestindo a Camisola Verde Rubis Gás. Xuban Errazkin (Vito-Feirense-BlackJack) confirmou a vitória na classificação da juventude, Camisola Branca RTP.

Em aberto estava a luta colectiva, com dois segundos a separar o Sporting-Tavira e a W52-FC Porto. Nesta sempre particular rivalidade foram os azuis e brancos que acabaram a celebrar com 1.54 de vantagem o que levou a multidão onde mais se faziam notar os adeptos portistas a aplaudir de forma entusiasta a equipa com a presença do próprio presidente Pinto da Costa.

Fafe viveu este domingo uma tarde intensa de ciclismo brindando a 80ª Volta a Portugal Santander com o último dos muitos banhos de multidão que acompanharam a prova.

No pódio Rui Vinhas muito aplaudido recebeu o troféu “Espírito de Sacrifício” entregue pelo Exército Português para destacar a valentia do corredor que, apesar de vítima de queda violenta, continuou em prova até ao fim.

80ª Volta a Portugal Santander 2018Com um total de 1.578,8 km (ainda que numa etapa a quilometragem fosse reduzida), divididos por 10 etapas em onze dias, a 80ª Volta a Portugal Santander atribuiu prémios monetários com alguma relevância, sabendo-se que Raúl Alarcón recebeu € 16.045,00 por ter ganho a prova, a que se juntam os prémios conquistadas nas etapas (a vitória valia € 3.060,00), aliás comuns a todos os ciclistas.

Uma competição que teve o condão de uma vez mais, levar o desporto a casa das pessoas, o que é importante para o facto de passar a mensagem da necessidade da prática da actividade físico, por todos e em todos os lados, para termos melhor saúde.

© 0890 Jogada do Mes. Todos os direitos reservados. XHTML / CSS Valid.