Sexta-feira 06 de Agosto de 2021

Paraciclistas portugueses sem relevo no mundial, no Estoril

PFC

PFC

Os corredores portugueses cumpriram as expectativas nos contra-relógios do Campeonato do Mundo de Paraciclismo, que esta quinta-feira se realizaram no Circuito do Estoril com domínio da selecção britânica, que conquistou quatro dos onze títulos disputados.

O vento forte tem sido um dos maiores adversários dos paraciclistas, endurecendo muito as corridas quando sopra de frente e aumentando as exigências técnicas sempre que atinge os corredores por trás ou lateralmente.

A armada nacional bateu-se com galhardia, cumprindo as expectativas, mas não conseguindo resultados de relevo. Telmo Pinão foi o 16.º classificado nos 25,2 km da prova de classe C2. Gastou mais 5m59s do que o novo campeão mundial, o francês Alexandre Leaute. A prestação do português foi prejudicada por dois problemas mecânicos. “Sabia que em condições normais poderia aspirar a um lugar entre o 10.º e o 12.º, mas saiu-me a corrente e parti o suporte de apoio da perna amputada. Fico triste, porque preferia que o resultado fosse apenas motivado pela condição física e não pelos percalços”, referiu Pinão.

Bernardo Vieira também sentiu dificuldades no exercício individual de 16,8 km de classe C1. O corredor português foi oitavo, a 3m38s do espanhol Ricardo Ten Argiles, que conquistou o título mundial.

Os portugueses tiveram dois representantes nos 33,6 quilómetros disputados pelos paraciclistas de classe C5. Hélder Maximino foi 16,º, a 10m27s do vencedor, o holandês Daniel Abraham Gebru. Manuel Ferreira foi 18.º, a 11m49s.

Paulo Teixeira competiu na série de classe C4, mas foi reclassificado com C3. Nesta competição foi 14.º, a 20m24s do francês Florian Bouzani, que conquistou a medalha de ouro.

Ana Silva, guiada por Isabel Caetano, estreou-se na classe B, prova em tandem, para atletas cegas ou com deficiência visual profunda. A dupla nacional fechou no 14.º posto, a 14m01s das melhores, as britânicas Lora Fachie e Corrine Hall.

A vitória na corrida de classe B feminina foi a quarta do dia para os britânicos, que também se impuseram na classe B masculina, através de Stephen Bate e Adam Duggleby, na classe C4 masculina, por George Peasgood, e em C5 femininas, por intermédio de Sarah Storey, única a revalidar títulos mundiais durante a jornada.

Esta sexta-feira continuará a ser dedicada aos contra-relógios, sendo a vez dos corredores das categorias H (handbike) e T (triciclo).

Portugal terá representantes em H3, H4 e H5. O primeiro a competir, às 14h06, será Luís Costa, em H5. Em H4 vão correr Rúben Garcia, às 14h14, Carlos Neves, 14h17, e Flávio Pacheco, 14h21. João Pinto vestes as cores nacionais no contra-relógio de H3, partindo ás 15h00.

 

© 2021 Jogada do Mes. Todos os direitos reservados. XHTML / CSS Valid.