Quarta-feira 06 de Julho de 2022

Luís Mendonça venceu etapa inaugural do GP Abimota em ciclismo

Ciclismo-GPAbimota-11-06-2022

Federação Portuguesa Ciclismo

Decidida ao sprint, Luís Mendonça (Glassdrive-Q8-Anicolor), venceu a primeira etapa do GP Abimota, realizada este sábado, entre Leiria e Vouzela.

Daniel Freitas (Rádio Popular-Paredes-Boavista) e Gonçalo Amado (Tavfer-Mortágua-Ovos Matinados) completaram o pódio em segundo e terceiro lugar, respectivamente, depois de percorridos 184,9 quilómetros, maioritariamente plano.

As movimentações no pelotão estiveram presentes ao longo da maior parte da etapa, com vários corredores a tentarem escapar para formar uma fuga, tentativas protagonizadas por Tiago Machado (Rádio Popular-Paredes-Boavista), João Macedo (L.A.Alumínios-Credrbom-MarcosCar) e André Rodrigues (Santa Maria da Feira/Segmento D’Época/Reol), que chegaram a ganhar alguma vantagem para o pelotão, que conseguiu sempre anular todos os ataques.

O pelotão acabaria por chegar compacto à meta, proporcionando aos espectadores presentes um final ao sprint.

Com este resultado, Luís Mendonça lidera a classificação geral, com quatro segundos de vantagem sobre Daniel Freitas, e seis segundos para Gonçalo Amado, sendo também líder da classificação geral por pontos. Francisco Morais (Tavfer-Mortágua-Ovos Matinados) é líder da geral das metas volantes, Alberto Gallego (Rádio popular-Paredes-Boavista) lidera a montanha, Steven Bayona (Previley Maglia Coforma Bembibre) a geral da juventude, César Martingil (Rádio Popular-Paredes-Boavista) a geral xadrez, Diogo Narciso (L.A.Alumínios-Credibom-MarcosCar) a geral de metas bolinhas e Juan Muñoz (JV Perfis Windmob) é o melhor corredor entre as equipas de clube. A Rádio Popular-Paredes-Boavista lidera a classificação geral por equipas.

Este domingo, terá lugar a segunda e última etapa da 42ª edição do GP Abimota, com 173,9 km, com partida em Anadia e chegada em Águeda.

III Trofeo Valladolid Rosa Bravo em Espanha

Beatriz Bota foi a melhor portuguesa no III Trofeu Valladolid Rosa Bravo (em cadetes), ao terminar na nona posição, a 4m44s da vencedora. Raquel Dias foi 16ª, a 4m58s, Daniela Simão foi 20ª, a 5m03s, e Ana Rita Marques foi 37ª, a 5m28s.

A primeira prova e num percurso ondulado de 57 km, o calor extremo como dificuldade acrescida, visto que a temperatura rondou os 40 graus. A vitória ficaria para a espanhola Paula Ostiz (Lacturale Ermitagaña), que cortou a meda isolada, completando a prova em 1h43m32s.

A corrida de juniores teve igualmente grandes dificuldades devido ao calor, que acabou por mudar todo o rumo da prova. Devido à temperatura extrema, várias atletas tiveram de abandonar e ser assistidas, o que levou a que a prova tivesse de estar neutralizada durante grande parte do percurso.

Todas as corredoras portuguesas terminaram a prova, com Mariana Líbano e Íris Chagas a chegarem no primeiro grupo, em 14º e 15º, respetivamente, com o mesmo tempo da vencedora, Lucia Ruiz (Rio Miera-Meruelo-Cantabria Deporte). Margarida Teodósio foi 38ª, a 16 segundos, e Laura Simão fechou no 47º lugar, a 28 segundos.

O selecionador nacional de estrada, no setor feminino, José Luís Algarra, sublinhou as condições adversas em ambas as corridas, que dificultaram o trabalho das atletas, tendo salientado que “a corrida de cadetes foi muito exigente, com muito sobe e desce, o que implica uma permanente mudança de ritmo. A temperatura era extrema, o que acabou por trazer um problema adjacente: a desidratação. Tendo em conta estas condições, foi um resultado muito bom para Portugal, pois conseguimos colocar uma atleta entre as 10 primeiras. As atletas juniores tiveram também de enfrentar o calor e ainda vento muito forte, que foi provocando abanicos. A neutralização durou até aos 10 quilómetros finais, o que levou a que não conseguíssemos disputar a corrida e ter uma imagem clara do resultado que poderíamos ter tido noutras circunstâncias”.

 

© 2022 Jogada do Mes. Todos os direitos reservados. XHTML / CSS Valid.