Quarta-feira 28 de Outubro de 2020

A transcendência da etíope Almaz Ayana

rio-2016Com uma corrida fenomenal, porquanto andou sempre no grupo da frente a imprimir um andamento bem forte, a etíope Ayana “seduziu” os milhares de espectadores – biliões em todo o mundo – que estavam no Estádio Olímpico e bateu o recorde mundial (e olímpico) dos 10.000 metros por cerca de 15 segundos (colocou o record em 29.17,46) o que é extraordinário e até transcendente.

Com 14.46 nos primeiros 5.000 metros e 14.31 nos últimos, Ayana deu um “baile” a toda a gente e retirou da lista dos recordes a chinesa Junxia Wang que, em 8 de Setembro de 1993 – há 23 anos – fixou a anterior marca em 29.31,78, o que, nessa altura, parecia impossível.

Mas como não há impossíveis, a etíope tirou todas as dúvidas (pelo menos até se saberem os resultados com controlo de dopagem), saltando para o comando do pelotão, perfeitamente isolada, a meio da prova, liderança que não mais largou e até correu mais depressa na segunda parte (14.46 e 14.31).

Medalha de prata para a queniana Vivian Cheruiyot (29.17,45) e bronze para a também etíope Tirunesh Dibaba (29.52,56).

Final deste tipo a memória vai apenas para um: o da conquista do ouro pela Fernanda Ribeiro, quando chegou na primeira posição, arrancada a poucos metros da alinha de chegada.

Carla Salomé Rocha, a única portuguesa presente, obteve o 26º lugar, com 32.06,05, a menos de um minuto do seu recorde pessoal (32.05,08), o que se pode considerar uma prova boa para o seu nível, embora bem longe da “fama”.

 

Ana Rente quase na final dos Trampolins

 

Nos Trampolins, Ana Rente entrou com o pé esquerdo e, face a uns certos “desequilíbrios”, incluindo na parte final do exercício, que não conseguiu controlar, acabou, ainda assim, num bom 11º lugar, com 97,885 pontos, que não conseguiu reverter na segunda fase e não foi à final.

A prova foi ganha pela bielorussa Tatsiana Piatrenia, com 104,515, que arrecadou o ouro.

Recorde-se que Ana Rente esteve nos dois Jogos anteriores, onde foi 14ª e 11ª, respectivamente. Manteve a bitola.

 

Par Costa e Lima em 2º nos 49er da vela

 

A dupla do 49er, constituído por José Costa e Jorge Lima entrou da melhor na competição que se iniciou esta sexta-feira, obtendo dois 4ºs lugares nas primeira e segunda regatas.

Com este feito, o par luso segue na segunda posição na classificação geral, aguardando-se o desempenho que consigam fazer este sábado.

Enquanto isso, o dia não correu tão a favor de João Rodrigues (RS:X) – obteve o 11º lugar na 11ª regata e o 7º na 12ª – sendo agora 18º quando a competição está no seu final.

Na classe Laser, Gustavo Lima também não teve um dia tão positivo como o de 5ª feira, tendo obtido o 11º lugar na 7ª regata mas caindo para a 29ª posição na 8ª, tendo descido ao 18º posto da geral.

Sara Carmo, no Laser Radial, foi 30ª na oitava regata, estando agora no 28º posto da geral.

Golfistas em igualdade

José Filipe Lima terminou, esta sexta-feira, a segunda ronda do torneio de Golfe integrado no grupo dos 22ºs classificados, com 70 pancadas, mantendo o realizado no primeiro dia, estando agora no 18º da geral, com 125 pontos, em prova comandada pelo australiano Marcus Fraser, com 132, que reforçou a liderança na prova.

Ricardo Melo Gouveia, por seu lado, recuperou muito em relação ao primeiro dia e foi 8º com 68 pancadas, subindo ao grupo dos 22ºs, onde está também José Filipe Lima.

Telma perdeu pela segunda vez no Badmínton

Tendo recuperado da derrota inicial frente à campeã olímpica, a chinesa Li Xuerui, nem por isso Telma Santos foi feliz e voltou a perder, desta vez pela diferença mínima (2-1) mas frente à norte-americana Iris Wang.

No último jogo da fase inicial, a realizar no domingo, defrontará a belga Lianne Tan.

 

Marta Pen eliminada no atletismo

 

A jovem Marta Pen, que fez a estreia nestes Jogos Olímpicos, obteve a 36ª posição (entre 41 participantes) na prova dos 1.500 metros, que cumpriu com 4.18,53, que correspondeu ao 12º lugar na primeira eliminatória, não conseguindo a passagem à meia-final.

Marta ficou muito longe da marca referência para a admissão, neste caso o seu recorde pessoal de 4.06,54, obtida na parte final do período de obtenção de mínimos.

O mesmo se poderá dizer em relação a João Vieira e Sérgio Vieira, que ficaram bem longe dos objectivos, comparando com resultados anteriores.

Na quinta presença, João Vieira (10º lugar em Atenas’2004, e o 11º há quatro anos, Londres), não esteve à altura do seu histórico, uma vez que foi 31º (entre 74 atletas presentes) com o tempo de 1.23.03.

O gémeo, Sérgio (45º lugar em Pequim’2008), ficou por perto (53º com 1.27.39), quiçá a pensar na priva de 50 km, a efectuar para a semana que vem.

Destaque para este sábado

 

Para além da presença da selecção portuguesa nos quartos-de-final do torneio de futebol, onde pretenderá afastar a forte Alemanha, Patrícia Mamona e Susana Costa iniciam (atletismo) a qualificação para a final no triplo salto.

Nos trampolins será a vez de Diogo Abreu actuar na primeira fase, assim como a selecção de ténis de mesa que pretende igualar, no mínimo, o 5º lugar que obteve nos Jogos de 2012, em Londres.

 

Programa português neste sábado (dia 13)

 

Futebol

- Quartos-de-final, Portugal-Alemanha (17h00)

Golfe

- Dia 3 – Filipe Lima, 11h30

- Dia 3 – Ricardo Melo Gouveia, 11:30

Atletismo

- Triplo Salto (F) Qualificação, Patrícia Mamona, 13h40

- Triplo Salto (F) Qualificação, Susana Costa, 13h40

- 400m (F) Eliminatórias, Cátia Azevedo, 15h00

- 100m (F) Meia-Final, Lorene Bazolo, 1h00 (Se apurada 1ª eliminatória)

- 100m (F) Final, Lorene Bazolo, 2h35 (se apurada das meias-finais)

Vela

- Laser (Dia 5) Gustavo Lima, 17h00

- 49er (Dia 2) Jorge Lima e José Costa, 17h00

- Laser Radial (Dia 5), Sara Carmo, 17h00

Ginástica

- Trampolim Individual (M) Eliminatórias, Diogo Abreu, 18h03

- Trampolim Individual (M), Final, Diogo Abreu, 19h42

Ténis de Mesa

- Equipas – Primeira Ronda – Selecção, 19h00

Badminton

- Individual (M) Fase de Grupos – Pedro Martins- Martin Giuffre (CAN), 15h20

 

Medalheiro

 

Após as finais das provas relativas a esta sexta-feira, os Estados Unidos da América continua a liderar o medalheiro, somando agora 4, sendo 16 de ouro, 12 de prata e 16 de bronze, à frente da China, com 37 (13-10-14); da Grã Bretanha, com 21 (7-8-6); do Japão, com 24 (7-3-14); da Coreia do Sul, com 13 (6-3-4); da Alemanha, com 11 (6-3-2) e da Rússia, com 22 (5-9-8).

Portugal está no grupo dos cinco últimos, com a medalha de bronze conquistada pela judoca Telma Monteiro, com sessenta países medalhados.

 

Outras notícias

 

O nadador norte-americano Michael Phelps voltou a impressionar tudo e todos e conquistou a 22ª medalha de ouro da longa carreira que já leva, ao vencer a prova dos 200 metros estilos. Nos Jogos Olímpicos, Phelps ganhou ainda mais quatro medalhas, somando 26. É obra única na história dos jogos da Era Moderna.

Phelps ganhou com o tempo de1.54,66 minutos, superando o japonês Kosuke Hagino (1.56,61) e o chinês Wang Shun (bronze).

 

Corre o mundo inteiro a selfie que as ginastas Lee Eun-Ju (Coreia do Sul) e norte-coreana Hong Un-jon, que tem tido um impacte nas redes sociais em larga escala, especialmente junto dos políticos da Coreia do Norte, que não gostaram nada destas “proximidades”.

Thomas Bach, presidente do Comité Olímpico Internacional (COI) aproveitou a esplêndida oportunidade e considerou que a foto “ilustração perfeita do espírito olímpico”.

Resta saber o que vai ser o futuro da jovem da Coreia do Norte quando regressar ao país.

 

Mais um caso de dopagem veio a lume. A búlgara Silvia Danekova acusou eritropoietina (EPO) num controlo a que se submeteu à chegada ao Rio de Janeiro, situação que foi divulgada pelo secretário-geral do Comité Olímpico da Bulgária, Belcho Goranov.

Danekova é o segundo caso de um controlo positivo nos Jogos Rio2016, depois da nadadora chinesa, Chen Xinyi, quarta nos 100 metros mariposa.

© 2020 Jogada do Mes. Todos os direitos reservados. XHTML / CSS Valid.